Metais sobem, impulsionados por bolsas e queda do dólar

Balanços corporativos robustos e dados positivos do setor de construção divulgados ontem nos EUA continuaram a estimular as commodities metálicas

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

20 de abril de 2011 | 08h47

Os contratos futuros dos metais básicos são negociados em alta na London Metal Exchange (LME), recebendo suporte dos ganhos dos mercados acionários e do enfraquecimento do dólar.

Às 8h07 (de Brasília), o contrato do cobre para três meses subia 1,7%, para US$ 9.494,75 a tonelada. O alumínio, que vem apresentando um desempenho estelar, avançava 0,7%, para US$ 2.732,50 a tonelada, depois de atingir uma nova máxima em dois anos e meio de US$ 2.741,00 a tonelada mais cedo na sessão.

Balanços corporativos robustos e dados positivos do setor de construção divulgados ontem nos EUA continuaram a impulsionar os metais básicos, junto com a queda do dólar. Os metais denominados na moeda norte-americana são beneficiados quando há uma desvalorização da divisa porque ficam mais baratos para os detentores de outras moedas.

Notícias sobre uma suspensão parcial da mina de cobre Grasberg, da Freeport McMoran Copper & Gold Inc., na Indonésia, ofereceram um impulso adicional ao cobre, com os players do mercado antecipando um aprofundamento do déficit de oferta do metal, disseram analistas.

Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o contrato do cobre para maio subia 1,58%, para US$ 4,2965 por libra-peso, por volta das 8h40 (de Brasília).

Segundo eles, os metais industriais deverão ser negociados de lado ou com leve alta no resto da semana, com os movimentos sendo dominados por eventos macroeconômicos e flutuações do dólar.

Entre os outros metais negociados na LME, o contrato do zinco para três meses subia 0,9%, para US$ 2.351,00 a tonelada, por volta das 8h07 (de Brasília). O do níquel tinha elevação de 3%, para US$ 26.069,00 a tonelada. O contrato do chumbo avançava 1,6%, para US$ 2.598,00 a tonelada e o do estanho aumentava 1,7%, para US$ 32.935,00 a tonelada. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.