Metais sobem, mas investidor continua cauteloso

Os metais básicos operam em alta na London Metal Exchange (LME), mas operadores alertaram que mais vendas podem acontecer. Depois da queda movida por pânico na semana passada, quando investidores venderam o euro para comprar dólar em meio aos problemas de dívida soberana na Europa, os mercados reverteram o curso nesta semana.

Danielle Chaves, da Agência Estado,

10 de fevereiro de 2010 | 10h04

 

Especulações de que a Alemanha e seus parceiros da União Europeia vão elaborar um plano de resgate para a Grécia em uma reunião amanhã colaboram para a alta dos metais. No entanto, a reunião pode desapontar e espalhar outra onda de aversão ao risco sobre as commodities, segundo operadores e analistas. Além disso, muitos investidores ainda estão céticos com relação à recuperação dos metais em meio aos altos estoques e à fraca demanda em muitas partes do mundo.

 

Às 9h05 (de Brasília), o cobre operava a US$ 6.642 por tonelada, uma alta de 0,9% com relação ao fechamento de ontem. O alumínio caía 0,04%, para US$ 2.055 por tonelada; o zinco subia 1,3%, para US$ 2.123 por tonelada; o níquel avançava 2,3%, para US$ 17.945 por tonelada; o chumbo ganhava 1,6%, para US$ 2.065,25 por tonelada; e o estanho tinha alta de 1,9%, para US$ 15.750 por tonelada.

 

Os dados da China sobre cobre apresentaram sinais mistos. A China importou 292.096 toneladas de produtos de cobre em janeiro, uma queda de 21% em relação a dezembro, mas uma alta de 25,3% em comparação com janeiro do ano passado. Muitos observadores do mercado esperavam aumento na importação. A queda mensal foi a primeira em três meses, segundo a Fairfax.

 

Em outra notícia importante para os metais, a mineradora anglo-australiana BHP Billiton disse que espera reiniciar o poço Clark, em sua mina de cobre e urânio Olympic Dam, na Austrália do Sul, em março, elevando a produção à capacidade total até o fim de junho. A Olympic Dam produziu 194.100 toneladas de cobre durante o ano financeiro 2008-2009, e colaborou para

1,1% da produção global de cobre. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
metaisLME

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.