Metais sobem sustentados por queda do dólar

Investidores aguardam a divulgação de novos indicadores econômicos nos EUA nesta quinta-feira e também seguem atentos à reunião do G-20

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

21 de outubro de 2010 | 09h59

Os metais básicos sobem na London Metal Exchange (LME) sustentados pela queda do dólar, enquanto investidores aguardam a divulgação de novos indicadores econômicos nos EUA mais tarde, que consideram, poderá oferecer novos estímulos para as compras. A reunião de ministros de finanças e presidentes de bancos centrais do G-20, que tem potencial de mover as cotações no mercado de câmbio, também será acompanhada.

Às 9h12 (de Brasília), o contrato do cobre para três meses subia 0,6% para US$ 8.391,00 a tonelada na LME. Às 9h43 (de Brasília), o contrato de dezembro do cobre negociado na Comex avançava 0,92% para US$ 3,82990 por libra peso.

O zinco e o chumbo estão entre os destaques de alta em Londres, beneficiando-se de notícias, não confirmadas, de fechamento de uma importante fundidora na província de Guangdong na China. O zinco atingiu sua maior cotação em seis meses com a informação e o chumbo, em nove meses.

A fundidora, operada pela Shenzhen ZhongjinLingnan Nonfernet, produz cerca de 6% do total da China de zinco e 3% do chumbo. Anualmente, a produção de zinco refinado na fundidora é de 270 mil toneladas e de chumbo é de 115 mil toneladas.

Às 9h11 (de Brasília), o zinco subia 2,3% para US$ 2.495,50 a tonelada e o chumbo avançava 2% para US$ 2.499,00 a tonelada.

Entre outros metais, o alumínio subia 1,1% para US$ 2.388,00 a tonelada, o níquel avançava 0,2% para US$ 24.000,00 a tonelada e o estanho ganhava 0,6% para US$ 26.900,00 a tonelada.

Nos armazéns da LME, os estoques de cobre caíram 750 toneladas na quarta-feira para 370,00 toneladas. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.