Metais têm queda com recuperação do dólar frente ao euro

Redução dos estoques limitam perdas

Danielle Chaves, da Agência Estado,

18 de outubro de 2010 | 10h07

Os metais básicos operam em queda, depois que uma onda de vendas ressurgiu na esteira da recuperação do dólar diante do euro. Os estoques, enquanto isso, continuam diminuindo, o que impõe um limite para a queda dos preços.

 

O Commerzbank afirmou que se o dólar permanecer firme poderá haver mais investidores escolhendo realizar lucros para tirar vantagem do recente aumento dos preços dos metais. "O recente avanço foi, na nossa opinião, exagerado e acentuado pelos investidores financeiros", comentou o banco.

 

Will Adams, analista da FastMarkets.com, disse que, dada a recente força entre os metais, o complexo pode estar pronto para uma consolidação. "E, se a queda do dólar foi interrompida por um tempo, então qualquer força na moeda provavelmente vai pesar sobre os preços", afirmou, acrescentando que "algumas correções" poderão ser vistas. Para o Barclays Capital, o declínio de hoje é uma pausa na tendência mais ampla de alta.

 

Os estoques seguem diminuindo na London Metal Exchange (LME). Na sexta-feira, os estoques de cobre caíram 575 toneladas, para 370.450 toneladas; os de alumínio recuaram 1.600 toneladas, para 4,312 milhões; os de zinco declinaram 925 toneladas, para 607.325 toneladas; os de níquel diminuíram 234 toneladas, para 123.822 toneladas; e os de chumbo caíram 75 toneladas, para 197.625 toneladas. Os estoques de estanho ficaram estáveis em 12.525 toneladas.

 

Pouco antes das 9h (de Brasília), o cobre para três meses negociado na LME operava a US$ 8.351,50 por tonelada, uma queda de US$ 48,50, ou 0,6%, em relação ao fechamento de sexta-feira. O zinco caía US$ 19,25, para US$ 2.404,75 por tonelada; o níquel recuava US$ 316, para US$ 23.724 por tonelada; o chumbo cedia US$ 15, para US$ 2.410 por tonelada; o estanho declinava US$ 475, para US$ 26.250 por tonelada. O alumínio era o único metal básico em alta, com avanço de US$ 2, para US$ 2.379 por tonelada.

 

Em Nova York, o cobre para dezembro negociado na Comex operava em queda de 0,99%, para US$ 3,8010 por libra-peso, às 9h35 (de Brasília). No mesmo horário, o euro caía para US$ 1,3893, de US$ 1,3974 no fim da tarde de sexta-feira. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
metaisLMEdólareuro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.