Metais têm sinais divergentes após vendas na China

Leve queda em algumas commodities metálicas também foi atribuída à expectativa de números fracos sobre o PIB dos EUA no segundo trimestre

Danielle Chaves, da Agência Estado,

30 de julho de 2010 | 08h47

Os metais básicos seguem sem direção definida nesta sexta-feira, depois de devolver parte dos fortes ganhos da sessão de ontem em uma onda de vendas por investidores e operadores chineses durante o pregão asiático. A leve queda em alguns metais também foi atribuída em parte à expectativa de números fracos sobre o PIB dos EUA no segundo trimestre deste ano, que devem ser divulgados às 9h30 (de Brasília).

Participantes do mercado disseram que houve certa arbitragem reversa de operadores da China durante a madrugada, com o cobre em Xangai ainda negociado com desconto em comparação com Londres.

"O tom geral é de cautela antes dos indicadores de hoje, especialmente a leitura do PIB dos EUA", disse Will Adams, analista da BaseMetals.com. Também há certo nervosismo com o fato de que o índice dos gerentes de compra (PMI) da China, a ser divulgado no domingo, poderá pressionar os mercados, como observou David Wilson, analista do Société Générale.

No entanto, os preços continuam próximos às máximas recentes e analistas disseram que fatores técnicos sólidos somados à recuperação na demanda por ativos de maior risco, em meio à especulação crescente de que a economia global vai continuar se recuperando, poderão fornecer ímpeto suficiente para sustentar os mercados.

Por volta de 8h30 (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) operava a US$ 7.220 por tonelada, uma alta de 0,1% em relação ao fechamento de ontem. O níquel subia 0,3%, para US$ 20.616 por tonelada, e o estanho avançava 0,5%, para US$ 19.540 por tonelada. Por outro lado, o alumínio caía 2%, para US$ 2.134,75 por tonelada; o chumbo recuava 0,3%, para US$ 2.055 por tonelada; e o zinco tinha queda de 0,1%, para US$ 1.991,50 por tonelada.

Em Nova York, o cobre para setembro negociado na Comex tinha queda de 0,50%, às 8h45 (de Brasília), para US$ 3,2735 por libra-peso. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.