Microsoft lança Windows Vista, de olho em 7 milhões de clientes

Com dois anos de atraso, chega hoje ao varejo de todo o mundo o Windows Vista, nova versão do sistema operacional da Microsoft. A empresa também lança o Office 2007. Quatorze fabricantes brasileiros estão lançando cerca de 40 máquinas com o software. Devem ser vendidos entre 10 milhões e 11 milhões de computadores no Brasil este ano. Segundo Alexandre Leite, gerente-geral da Divisão Windows Client da Microsoft Brasil, a maioria deve vir com o Vista.O País fechou 2006 com cerca de 30 milhões de computadores. Deve fechar este ano alguma coisa entre 35 milhões e 37 milhões de máquinas. Esta diferença - entre 5 milhões e 7 milhões de unidades - é o mercado potencial do Vista. ?Continuamos a vender o XP (versão anterior) enquanto houver demanda?, explicou Leite.A Microsoft foi beneficiada pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), que ampliou para R$ 4 mil o preço dos computadores beneficiados pela isenção de PIS/Cofins, criada pela "Medida Provisória (MP) do Bem". Os limites anteriores eram de R$ 2,5 mil para computadores de mesa e de R$ 3 mil para portáteis. Como o Vista exige máquinas mais parrudas, os fabricantes estavam sentindo dificuldade de enquadrar os novos modelos no teto antigo do benefício.?O governo brasileiro mostra uma posição proativa e louvável ao incentivar o setor, a competitividade da indústria e a inclusão digital?, afirmou o diretor de Marketing e Vendas da Microsoft Brasil, Luiz Marcelo Marrey Moncau. ?É positivo para nós e para todas as empresas de hardware e software que estão dispostas a pagar impostos, gerar empregos e tornar-se mais competitivas.?Para funcionar direito, o Windows Vista exige memória de 1 gigabyte de RAM, que não se encontra na maioria dos computadores em operação. Ele também exige placa de vídeo com suporte a DirectX9-glass e memória de 128 megabytes. As configurações mínimas para o novo sistema operacional, acima do que hoje é o padrão do mercado, devem incentivar os consumidores a trocarem suas máquinas.?Quando saiu o primeiro Windows, teve gente que disse que não venderia porque nenhum computador tinha mouse?, afirmou o vice-presidente sênior da Microsoft mundial, Steven Sinofsky. ?Quando o Windows começou a exigir cor, também reclamaram que ninguém tinha monitor colorido. Pela experiência, essas exigências mínimas se tornam rapidamente padrão de mercado.?A Microsoft promete um sistema mais seguro. Recursos como firewall, anti-spyware e antiphishing, que evitam ataques ao computador, vêm no Windows. Os pais poderão controlar o que os filhos fazem, bloqueando sites e programas e consultando relatórios de uso.Pela primeira vez no Brasil, o Windows terá o recurso de Media Center, que transforma o computador num centro de entretenimento. As pessoas podem assistir televisão no micro e dar pausa num programa ao vivo. O computador continua gravando o vídeo, que pode ser retomado posteriormente. Ele se torna um gravador digital de vídeo. O recurso está disponível nas versões Home Premium e Ultimate. O Windows custa a partir de R$ 299 e o Office a partir de R$ 399.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.