Mittal insiste em não fazer OPA por Arcelor Brasil

A Mittal Steel insiste que não tem a obrigação de fazer uma oferta pública pelas ações (OPA) da Arcelor no Brasil, contestando parecer dos reguladores brasileiros. Em comunicado, a maior siderúrgica do mundo manteve sua posição e disse que continuará com o recurso contra a decisão da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). "Sabemos do parecer e vamos continuar com o recurso", declarou a Mittal. "Nossos consultores nos reafirmaram a avaliação de que não é necessário fazer uma oferta para os minoritários da Arcelor Brasil porque não houve uma mudança efetiva de controle na Arcelor." Pela manhã, as superintendências de Registro de Valores Mobiliários e de Relações com Empresas da CVM mantiveram suas decisões determinando que a Mittal terá de fazer uma oferta pública pelas ações da Arcelor Brasil em circulação no mercado. Quando o negócio foi anunciado, os reguladores determinaram que a venda representava uma mudança de controle. A autarquia se baseou no estatuto da Arcelor Brasil, que prevê oferta nesse caso, e portanto a Mittal teria de fazer uma oferta. Isso deve acrescentar US$ 5 bilhões ou mais ao preço de compra oferecido pela Mittal para a Arcelor, segundo analistas. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

29 de agosto de 2006 | 15h41

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.