Mittal obtém 50% das ações para compra da Arcelor

A Mittal Steel Co. informou que acionistas detentores de 50% das ações em circulação da Arcelor aceitaram a proposta de compra da siderúrgica. O montante, de acordo com a empresa, atende às condições mínimas para se concretizar a operação. Segundo o grupo, que está oferecendo 26,8 bilhões de euros (US$ 33,5 bilhões) em dinheiro e ações pela Arcelor, o cálculo é preliminar e considera dados de intermediários financeiros. A Mittal observou que ainda está em processo de verificação e contabilização das ações ofertadas.Mas a notícia, se confirmada, garante uma conclusão positiva para a oferta da Mittal - iniciada no final de janeiro. No mês passado, o grupo obteve a recomendação do conselho de administração da Arcelor para a fusão. A Mittal diz que o resultado final da oferta será publicado em 26 de julho. O montante em dinheiro proposto no acordo, 31% do total (no máximo 8,5 bilhões de euros), será distribuído proporcionalmente entre os acionistas que escolheram essa forma de pagamento. O restante será pago em ações da nova companhia. A quantia exata que será distribuída dessa maneira vai depender de quantos escolheram essa opção.Apesar da aparente aprovação dos acionistas, as duas empresas ainda precisam resolver algumas questões, entre elas quem será o executivo-chefe da nova entidade - que se chamará Arcelor Mittal e terá sede em Luxemburgo. O destino da Dofasco, siderúrgica canadense adquirida pela Arcelor no início do ano e colocada em uma fundação holandesa para evitar que fosse vendida, é outra questão pendente. Na ocasião, a companhia tentava se defender das investidas da Mittal.A Mittal e a Arcelor ainda não entraram em acordo sobre o futuro da Dofasco. Desde o princípio a Mittal demonstrou disposição de vender a unidade para a alemã ThyssenKrupp AG, se fosse bem sucedida na compra da Arcelor. Além disso, ainda é preciso fazer um cálculo atualizado sobre sinergias produzidas pela combinação dos dois grupos. A estimativa mais recente é de que 1,6 bilhão de euros serão gerados com sinergias, disse o porta-voz da Mittal. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.