MMX ainda analisa novos parceiros estrangeiros para MG, RJ e Corumbá

A MMX Mineração e Metálicos ainda está definindo os investidores estrangeiros que vão comprar os 30% do capital social dos sistemas Minas-Rio e Corumbá da companhia, detidos pela subsidiária Centennial Assets. Os possíveis investidores estão sendo avaliados pela diretoria da MMX e serão submetidos, posteriormente, à avaliação do conselho de administração, segundo o diretor geral e de relações com investidores, Rodolfo Landim. "Os investidores estratégicos estão em análise", disse Landim, sem revelar se a norte-americana Cleveland-Cliffs está entre eles. Ontem, a MMX informou à Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) acordo preliminar prevendo a compra, pela Cleveland-Cliffs, da totalidade do capital da Centennial Asset na Centennial Amapá. A norte-americana vai desembolsar US$ 133 milhões em dinheiro, assumindo o compromisso de participar com 30% dos investimentos no Sistema Amapá.Segundo o executivo, não há um prazo para a definição dos novos parceiros. "Nossa vontade é de definir os investidores o mais rápido possível", diz o diretor da MMX. Na última terça-feira, o presidente da MMX, Eike Batista, afirmou que a empresa anunciaria os parceiros para os três sistemas nas próximas semanas. A MMX detém 70% dos projetos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.