Modal recomenda cautela com Bolsa e ações de commodities

A preocupação dos agentes de mercado com relação à desaceleração da economia norte-americana deve continuar afetando diretamente o desempenho da Bovespa, na análise do diretor da Modal Asset Management, Alexandre Póvoa. "Não consigo ver nenhum catalisador para a Bolsa no curto prazo, tanto no cenário local como no externo", afirma. Ele recomenda muita cautela para quem deseja se posicionar no mercado nesse momento. O cuidado precisa ser redobrado com as ações ligadas ao setor de commodities, "por mais que seja tentador", após as quedas recentes. Em caso de piora no quadro externo, essas empresas devem ser as mais atingidas, apesar de os fundamentos de todas elas continuarem bons, acrescenta. Para o executivo, o atual patamar da Bolsa não precifica uma desaceleração mais intensa da economia mundial. ?O que está no preço é a dúvida?, assinalou. Segundo Póvoa, a palavra de ordem para quem deseja entrar em um mercado cuja tendência imediata é de alta volatilidade é a seleção muito cuidadosa de papéis. A principal orientação da Modal é a busca por ações mais correlacionadas ao desempenho da economia interna. Sem citar nomes de empresas, ele destacou setores como varejo e TV a cabo. Por outro lado, o executivo lembrou que a perspectiva para a atividade local não é a mais otimista, apesar da menor vulnerabilidade. No quadro eleitoral, mesmo com a aparente tranqüilidade, o processo sempre causa um certo desconforto, segundo Póvoa. A Modal Asset Management administra cerca de R$ 400 milhões em recursos de terceiros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.