Moedas devolvem parte da disparada contra dólar antes do PIB dos EUA

O índice ICE dólar, que avalia a moeda contra uma cesta de seis outras divisas, chegou a cair à mínima desde agosto de 2008, a 72,945

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

28 de abril de 2011 | 09h12

O decreto de fraqueza do dólar provocou alta brusca de várias moedas nesta manhã e na Ásia obrigou os bancos centrais da Coreia do Sul, da Tailândia e da Malásia a venderem suas respectivas moedas para conter o movimento de queda do dólar. O euro, por sua vez, disparou para acima de US$ 1,48 e foi à máxima desde dezembro de 2009, a US$ 1,4882. O índice ICE dólar, que avalia a moeda contra uma cesta de seis outras divisas, caiu à mínima desde agosto de 2008, a 72,945. O dólar australiano atingiu nova máxima em 29 anos contra o dólar, operando a US$ 1,0947. A libra esterlina teve sua maior cotação em 17 meses frente ao dólar, chegando a US$ 1,6748.

Mas às 8h53 (de Brasília), as moedas já eram negociadas bem abaixo das máximas antes da divulgação do PIB dos EUA do primeiro trimestre, às 9h30 (de Brasília). O euro valia US$ 1,48, ainda assim acima de US$ 1,4788 no fim do dia ontem em Nova York; o dólar australiano era cotado a US$ 1,0887; a libra esterlina operava a US$ 1,6643, ainda acima de US$ 1,6632 ontem; o dólar caía a a 81,78 ienes, de 82,17 ienes ontem.

"A depreciação do dólar parece dominante, enquanto o apetite por risco segue forte", disse o economista de moedas do OCBC Bank, Emmanuel Ng. Ontem, o presidente do Fed, Ben Bernanke, deixou claro que a política monetária ultrafrouxa será mantida por um período prolongado, selando a tendência recente de queda do dólar.

Parece que os investidores escolheram centrar foco na linguagem "período prolongado" e ignorar a alta das expectativas de inflação, dando sinal verde para vendas de dólares, disse um trader em Londres. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.