Morre ex-chairman da Enron condenado por fraude nos EUA

O ex-chairman da Enron Kenneth Lay, que foi condenado em maio por fraude e conspiração no processo que investigava o colapso da companhia, morreu de causas naturais, aparentemente um ataque cardíaco, em Aspen, Colorado (EUA), hoje de manhã. Seu advogado, Michael Ramsey, confirmou a notícia. Não se sabia se Lay tinha problemas no coração.As condenações de Lay e do ex-presidente do grupo Jeffrey Skilling pela maior parte das acusações que pesavam contra eles coroou um amplo movimento do governo norte-americano para combater os crimes associados à crise da companhia de energia de Houston.Com os resultados dos esforços da promotoria aparecendo depois de quatro anos de profunda investigação judicial, fica claro que o governo agiu rapidamente depois do escândalo ocorrido no final de 2001 para mostrar a uma sociedade irritada que um policial estava de prontidão, que os culpados seriam punidos e que o sistema seria purgado da corrupção. Lay enfrentaria uma pena máxima de 45 anos de prisão pelo julgamento principal, relacionado à Enron, e poderia pegar ainda de zero a seis meses para cada uma das quatro condenações que recebeu relacionadas às suas atividades bancárias pessoais. O processo, no entanto, continua, com o anúncio da sentença criminal de Skilling. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.