MP do Trabalho pede ação contra a Varig, sobre FGTS

O Ministério Público do Trabalho (MPT) do Rio informou que ajuizou hoje uma ação civil pública para pedir o pagamento antecipado do FGTS dos trabalhadores da Varig demitidos em julho e agosto. Além disso, o MPT também quer que a Varig, no prazo de 48 horas, "forneça aos empregados dispensados todos os termos de rescisão de contrato de trabalho com os valores devidos e não pagos assinalados". Por meio de nota, o procurador do MPT, Rodrigo Carelli, informa que mais de 5 mil trabalhadores demitidos estão impedidos de sacar o FGTS porque não houve rescisão de contrato. "A situação dos trabalhadores é de miserabilidade total, pois seus salários estão em atraso há mais de quatro meses, fato confessado pelas rés nos depoimentos tomados no Ministério Público, e não tem previsão de pagamento de verbas rescisórias, por parte das rés, por um bom tempo", disse Carelli, por meio de comunicado.O MPT já ajuizou outra ação civil pública para responsabilizar a VarigLog pelo pagamento dos salários atrasados e verbas rescisórias. No próximo dia 24, essa ação mais duas similares, ajuizadas por associações de funcionários, deverão ser julgadas pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT).

Agencia Estado,

17 de agosto de 2006 | 18h25

Tudo o que sabemos sobre:
empresas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.