M.Stanley diz que Cosan deve subir menos que ações do setor

O banco de investimentos Morgan Stanley reduziu a perspectiva de desempenho das ações da Cosan de "equalweight" (expectativa de desempenho semelhante para de papéis do mesmo setor) para "underweight" (projeção de desempenho inferior). Ao mesmo tempo, a instituição elevou o preço-alvo do papel de R$ 90 para R$ 120. Segundo relatório distribuído a clientes da instituição, as alterações foram baseadas na "presumida alta dos preços das commodities e na aquisição da usina Corona". De acordo com os analistas Lore Serra e Robert Wertheimer, a redução da recomendação se deve ao fato de boa parte da evolução positiva já estar precificada. O banco também alterou as previsões de lucro da companhia em 2006. A estimativa para a receita, no ano todo, passou de R$ 2,270 bilhões para R$ 2,401 bilhões, alta de 5,8%. A previsão de lucro líquido saltou 54,3%, de R$ 66 milhões para R$ 101 milhões. As previsões para 2007 também mudaram: a receita projetada de R$ 3,062 bilhões para R$ 3,681 bilhões. Ao mesmo tempo, a previsão de lucro líquido foi revisada para baixo: de R$ 501 milhões para R$ 413 milhões. Para 2008, as novas previsões do Morgan Stanley são: receita de R$ 4,106 bilhões ante R$ 3,103 bilhões (alta de 32,3%) e lucro líquido de R$ 884 milhões ante previsão anterior de R$ 517 milhões (elevação de 70,9%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.