Mudança no plano de recuperação da Parmalat é homologada pela Justiça

O Plano de Recuperação Judicial da Parmalat Alimentos foi homologado ontem na 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais do Foro Central da Comarca da Capital (SP). O documento se refere às alterações aprovadas, em 26 de maio último, pela assembléia geral de credores da Parmalat.Com isso, o processo de reestruturação da empresa foi concluído. O fundo de investimentos Latin America Equity Partners passou a ser o controlador. Os bancos credores receberam o valor total de R$ 155 milhões, resultado da venda de sua participação acionária na Batávia para a Perdigão, da venda da Etti para a Assolan e do aumento de capital. Segundo o advogado Thomas Felsberg, que atuou no processo, o endividamento da Parmalat foi reduzido a menos de 20% do valor original e o saldo será pago em até seis anos. A Parmalat está sendo considerada o primeiro caso bem-sucedido de recuperação judicial depois da implementação da nova lei de falências.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.