Na contramão de NY, Bovespa tem 6ª alta seguida

Ibovespa avança 0,58%, aos 50.895 pontos, e tem ganho de 5,52% no mês e queda de 16,5% no ano

Claudia Violante, da Agência Estado,

14 de agosto de 2013 | 17h56

Após titubear na abertura, a Bovespa se firmou em território positivo e encerrou em alta nesta quarta-feira, a sexta valorização seguida. No meio do caminho, quase apagou os ganhos com a fala do presidente do Federal Reserve de St. Louis, James Bullard. O efeito, no entanto, foi temporário. O exercício de Ibovespa futuro e opções sobre Ibovespa distorceu os negócios locais e garantiu um fechamento na contramão das bolsas norte-americanas.

O Ibovespa avançou 0,58%, para 50.895,92 pontos. Na mínima, registrou 50.414 pontos (-0,37%) e, na máxima, 51.364 pontos (+1,51%). No mês, acumula ganho de 5,52% e, no ano, queda de 16,50%. O giro financeiro totalizou R$ 27,468 bilhões, engordado pelo exercício. Os dados são preliminares.

As Bolsas norte-americanas ficaram na defensiva, à espera do discurso de Bullard. Com direito a voto no Fomc (sigla em inglês para Comitê de Política Monetária), o presidente do Fed de St. Louis disse que, apesar dos receios com o programa de relaxamento monetário do banco central dos EUA, até agora as expectativas de uma inflação maior não se materializaram. Segundo ele, "se o Fed estabeleceu uma meta de inflação de 2%, é preciso atingi-la, ou perderemos a credibilidade".

Ele também reiterou que o Fed precisa ver mais indicadores do desempenho da economia neste segundo semestre antes de decidir quando reduzir seu programa de compras de bônus de US$ 85 bilhões a cada mês.

As Bolsas norte-americanas caíram: o Dow recuou 0,73%, aos 15.337,66 pontos, o S&P perdeu 0,52%, aos 1.685,39 pontos, e o Nasdaq registrou baixa de 0,41%, aos 3.669,27 pontos.

Internamente, a fala de Bullard chegou a interromper o comportamento particular da Bovespa em razão do exercício. Logo foi retomado e a alta se sustentou por Petrobras, Usiminas, CSN e grupo X.

Petrobras foi um dos principais destaques de alta, com evolução de 3,54% na PN e de 1,77% na ON, enquanto Vale subiu menos, 0,13% na PNA e 0,48% na ON. Vale PNA teve o maior giro financeiro da sessão, de R$ 1,315 bilhão.

No setor siderúrgico, Usiminas PNA saltou 4,70% e a ON, 6,46%, enquanto CSN ON subiu 2,14%. Gerdau PN perdeu 0,20% e Metalúrgica Gerdau PN teve avanço de 0,16%.

Banco do Brasil, que caía mais cedo, fechou em alta de 0,56%. O resto do setor encerrou em baixa: Bradesco PN (-1,02%), Itaú Unibanco PN (-0,99%) e Santander Unit (-1,43%).

OGX ON avançou 1,49%. Saiu a notícia à tarde de que a petrolífera contratou o Blackstone Group como consultor, em outro passo que pode levar à reestruturação de sua dívida, segundo fontes com conhecimento do assunto.

Tudo o que sabemos sobre:
Bovespa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.