Negociação da Petrobras com Mitsui e Sumitomo está suspensa

Os grupos japoneses Mitsui & Co. e Sumitomo Corp. confirmaram ter suspendido as negociações com a estatal Petrobras sobre a compra de participação no gigante campo petrolífero Jubarte, na parte da Bacia de Campos no Espírito Santo. O comunicado segue declarações de um executivo da estatal brasileira na semana passada, afirmando que a petrolífera havia descartado as conversações com o Mitsui e o Sumitomo.Os porta-vozes das duas empresas afirmaram que há discrepâncias entre os lados japonês e brasileiro sobre as condições da transação. "Interrompemos as negociações em dezembro passado por causa de algumas discrepâncias nas condições, mas ainda gostaríamos de trabalhar com a Petrobras se algum projeto bom surgir", disse o porta-voz do Mitsui. "Havia uma grande diferença de opinião com relação as condições e foi difícil chegar a um acordo", observou o porta-voz do Sumitomo.O diretor da Petrobras para o Japão, Osvaldo Kawakami, afirmou na sexta-feira que a estatal brasileira havia desistido das negociações com as duas companhias e decidiu desenvolver o campo por conta própria. "A principal questão era o preço. Havia uma diferença de opinião", disse de acordo com relatos da imprensa local. Segundo Kawakami, a Petrobras pode financiar o projeto de US$ 3 bilhões com recursos próprios.O campo de Jubarte, localizado na Bacia de Campos, tem reservas estimadas em 600 milhões de barris de petróleo pesado. Em outubro de 2005, a Petrobras convidou os grupos Mitsui, Sumitomo e Mitsubishi Corp. a integrar o processo de venda de 15% de participação no campo e os dois primeiros superaram a oferta da Mitsubishi. As informações são da agência Dow Jones.

Agencia Estado,

27 de junho de 2006 | 09h37

Tudo o que sabemos sobre:
empresas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.