Nikkei cai enquanto investidores adotam tom de cautela

Mercado aguarda divulgação dos números sobre o mercado de trabalho dos Estados Unidos e leva bolsa a queda de 0,18%

06 de fevereiro de 2014 | 06h01

A Bolsa de Tóquio encerrou o pregão em leve queda, em um pregão marcado pela espera dos investidores pelo relatório de emprego dos EUA. Durante o dia o principal índice acionário da bolsa oscilou entre ganhos e perdas, mas ao final da sessão o índice Nikkei encerrou em baixa de 0,18%, aos 14.155,12 pontos.

Ao longo do pregão algumas ações chegaram a se favorecer com um iene mais fraco. Na máxima do dia, o dólar alcançou a cotação de 101,68 ienes, ante 101,45 ienes no fim do pregão de Tóquio ontem, mas perto do fim das negociações na bolsa a moeda norte-americana perdeu força e no momento do fechamento o dólar operava a 101,44 ienes.

Os investidores também adotaram um tom de cautela antes da reabertura do pregão chinês. "Com os mercados chineses perto de reabrirem, também há uma cautela de que após o longo feriado do Ano Novo Lunar pode haver uma queda à medida que os preços se ajustam às vendas que ocorreram ao redor do mundo", disse um operador de mercado em uma corretora estrangeira.

No entanto, o foco dos investidores deve ficar para a espera de novos dados econômicos nos EUA, importantes para avaliar os próximos passos do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos). "Já há incertezas suficientes para fazer os investidores se sentirem desconfortáveis sobre se comprometer muito forte com as ações no momento, apesar das recentes quedas do mercado", disse o gerente-geral da Chibagin Asset Management Yoshihiro Okumura. Yoshihiro explicou que o cenário pode mudar rapidamente e que ninguém quer arriscar perder caso os dados decepcionem.

Hoje os EUA anunciam os pedidos de auxílio-desemprego na última semana, e amanhã será publicado o aguardado relatório de emprego. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Japãobolsa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.