Nikkei encerra pregão com alta de 1,2%

Indicador bateu nos 15.727,12 pontos, atingindo nova máxima no ano, puxado por valorização do dólar norte-americano

AE, Agencia Estado

28 de novembro de 2013 | 05h29

O mercado acionário de Tóquio atingiu uma nova máxima de fechamento em 2013, impulsionado por uma alta no dólar. O iene mais desvalorizado eleva as expectativas por ganhos maiores nas empresas.

Dados encorajadores para a economia norte-americana, incluindo os surpreendentes pedidos de auxílio-desemprego, foram fundamentais para que o dólar superasse a marca de 102 ienes e atingisse a máxima em seis meses no fim da tarde de ontem, a 102,29 ienes.

Durante a madrugada o dólar perdeu força e no momento do fechamento da Bolsa de Tóquio a moeda era negociada a 102,08 ienes, mas ainda assim acima dos 101,53 ienes registrados no fim do último pregão.

O índice Nikkei encerrou em alta de 1,2%, a 15.727,12 pontos, cerca de 100 pontos à frente da última máxima alcançada em 22 de maio. "Esse movimento é um avanço técnico, mas também serve como um sinal de compra para os investidores - especialmente os compradores estrangeiros, que sentem terem ficado para trás - e ajuda a impulsionar uma corrida otimista em direção ao fim do ano", afirmou o analista de mercado da Tachibana Securities, Kenichi Hirano.

Para isso, muitos operadores de mercado acreditam ser necessário um enfraquecimento ainda maior do iene. Um estrategista de mercado disse que a venda do iene costuma ocorrer com compras de ações no mercado futuro. As posições vendidas em iene permanecem na máxima em sete anos.

No entanto, alguns analistas alertaram que o fraco volume significa que o rali de hoje não representa uma alta de qualidade. "Quando os investidores voltarem do feriado de ação de graças nos EUA na próxima semana, nós teremos uma ideia melhor se essa alta tem pernas", afirmou o presidente do Investrust, Hiroyuki Fukunaga. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Japãobolsa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.