Nikkei fecha em alta diante de operações reduzidas

A Bolsa de Tóquio fechou em alta pela quarta sessão seguida nesta quinta-feira, ajudado por um dólar mais forte ao longo do pregão asiático e subsequente compras de ações de exportadores. O desempenho ajudou o mercado acionário japonês a se recuperar completamente da forte baixa na sexta-feira passada, contudo uma atividade reduzida, devido a um feriado no país, levou alguns operadores a questionarem a sustentabilidade dos ganhos recentes.

AE, Estadão Conteúdo

14 de agosto de 2014 | 07h57

O índice Nikkei avançou 0,66%, para 15.314,57 pontos. Ao longo das últimas quatro sessões, o índice acumulou alta de 3,6%, recuperando-se da queda de 3,0% em 8 de agosto. O volume totalizou apenas 1,83 bilhão de ações.

O mercado acionário operou em terreno positivo desde o começo do pregão, superando a marca de 15,300 mil pontos pela primeira vez desde cinco de agosto, tendo em vista que o dólar se manteve em tendência de alta durante a sessão asiática. A divisa norte-americana mais forte e um iene mais fraco ajudam os exportadores japoneses, que conseguem, com isso, fixar preços mais competitivos em produtos que vendem no exterior. A resposta no mercado geralmente é compra de ações destas empresas

Além disso, os investidores continuaram a digerir os números do Produto Interno Bruto (PIB) do Japão no segundo trimestre, que teve uma baixa de 6,8%, ante expectativas de contração de 7,0%.

"O PIB ligeiramente melhor que o esperado ajudaram as ações e pode ter, pelo menos, retirado uma preocupação de curto prazo para os investidores", disse o diretor da Okasan Securities, Takashi Matsumoto. "Com um câmbio mais acomodatício e um sentimento menor de aversão ao risco, o mercado deve ser capaz de se manter em tendência de alta, uma vez que os preços permanecem baratos".

Ele acrescentou que, embora o iene mais barato, a política de acomodação do Banco do Japão (BoJ) e as compras de ações por fundos de pensão do governo possam dar ao mercado alguns impulsos temporários, o aumento do imposto sobre vendas e o enfraquecimento da indústria nacional são preocupações fundamentais que pesam no mercado.

O baixo volume de operações, diante de um feriado no país, também afetou a renda fixa do Japão. O juro dos títulos do governo japonês, também conhecidos como JGBs, de 10 anos cedeu 0,5 ponto-base para 0,50%, barreira psicológica acima da qual o rendimento permaneceu desde abril de 2013. O volume de negociações ficou em apenas 1 bilhão de ienes, o mais baixo desde 1º de maio.

Dentre os eventos econômicos da sessão, o Ministério de Finanças do Japão vendeu 2,454 trilhões de ienes em bônus de cinco anos a um juro de 0,147%, em linha com as previsões do mercado. A proporção de ofertas feitas e aceitas (bid-to-cover), uma medida da demanda, melhorou para 4,87, de 4,14 no último leilão deste tipo. Com informações da Dow Jones

Tudo o que sabemos sobre:
JapãoBolsa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.