Nikkei fecha em queda com problemas geopolíticos

Índice do mercado japonês recuou 0,7%, encerrando aos 13.542,37 pontos, após a baixa de 0,2% na segunda-feira

27 de agosto de 2013 | 04h36

As ações na Bolsa de Tóquio fecharam em queda nesta terça-feira, uma vez que o recuo do dólar e temores sobre problemas geopolíticos pesaram sobre o mercado. Entre as questões que atingiram o sentimento do investidor está a possível intervenção internacional na Síria.

O índice Nikkei caiu 0,7%, para 13.542,37 pontos, após a baixa de 0,2% na segunda-feira. Os níveis de participação permaneceram reduzidos, em linha com a recente tendência de baixo volume. As operações atingiram apenas 1,71 bilhão de ações sob o valor de 1,43 trilhão de ienes.

As ações caíram por causa de um conjunto de fatores, incluindo um declínio nas ações dos EUA e um recuo do dólar, desencadeado depois que o secretário de Estado dos EUA, John Kerry, indicou que a Casa Branca está considerando uma ação militar contra a Síria.

Além disso, na segunda-feira, uma forte queda nas encomendas de bens duráveis dos EUA alimentou esperanças de que o Federal Reserve deve recuar sobre a redução no curto prazo do seu programa de compra de bônus, o que também atingiu o dólar. Por volta do horário de fechamento da Bolsa de Tóquio, o dólar mudava de mãos a 98,11 ienes, abaixo dos níveis do dia anterior.

"Os investidores de longo prazo veem toda uma série de fatores políticos e macroeconômicos mais amplos - inclusive crescentes tensões sobre a Síria, as preocupações sobre o Fed, eleições na Alemanha, o resgate grego, etc - como algo poderoso demais para incentivar o investimento significativo em ações no momento", disse um diretor de negociação de ações de uma corretora estrangeira. "A abordagem de esperar para ver é considerada mais segura agora."

A questão da Síria, contudo, possui elementos que amenizam seu impacto. "A Síria é um pouco diferente, já que o país tem pouco óleo e apenas um impacto econômico marginal, de modo que os mercados globais podem não ser severamente afetados", disse o estrategista Nicholas Smith, da CLSA.

"Os mercados estão nervosos e operando em volumes baixos, mas os investidores de eventos binários estão esperando para ver se o primeiro-ministro Shinzo Abe" age ou não em relação a suas promessas de reestruturação, acrescentou.

A venda de futuros atingiu ações fortemente ponderadas como Fast Retailing, que perdeu 1,4%, e SoftBank, que caiu 0,5%. Exportadores também fecharam em baixa com o dólar mais fraco. A Terumo perdeu 1,5% e a Tokyo Electron caiu 1,2%.

A Tokyo Electric Power, também conhecida como Tepco, manteve-se como o papel mais negociado, fechando com um ganho de 12% após notícias de que o governo japonês vai agir para lidar com o vazamento de água contaminada na usina nuclear de Fukushima Daiichi. As ações da empresa tinham perdido 27% nas últimos seis sessões por causa de notícias e reportagens que ilustram a gravidade da situação. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
japãobolsa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.