Nikkei sobe forte com correção técnica e queda do iene

Valorização chegou a 2,2% , fazendo índice da bolsa local encerrar o pregão aos 14.396,04 pontos

28 de outubro de 2013 | 05h57

O principal índice acionário da Bolsa de Tóquio encerrou o pregão em forte alta, influenciado pela ligeira valorização do dólar e pelo movimento de recuperação técnica.

O índice Nikkei encerrou o pregão asiático com ganhos de 2,2% e avançou para 14.396,04 pontos. Na sexta-feira o Nikkei havia encerrado o dia com perdas de 2,7%.

Operadores de mercado disseram que com a falta de novidades, como indicadores econômicos, os negócios se basearam em movimentos no câmbio e em notícias corporativas. "Mesmo pequenos movimentos no dólar foram amplificados, acionando recompras depois das ações terem sido excessivamente vendidas na semana passada", disse o estrategista-chefe da Daiwa Securities, Junya Naruse.

Por volta do fechamento da Bolsa de Tóquio, o dólar operava a 97,62 ienes, de 97,41 ienes no fim da tarde de sexta-feira.

Com a desvalorização do iene, as ações da Honda subiram 2,0%, assim como as da Kyocera avançaram 2,8%. "Os investidores estão adotando uma postura de esperar para ver, em um momento que a temporada de balanços acabou de começar", afirmou o gestor de fundos da Shinkin Asset Management, Naoki Fujiwara.

No noticiário corporativo, os papéis da Sony saltaram 3,2% depois de a equipe de análise do Credit Suisse elevar a recomendação para as ações para neutra, de venda. Os analistas citaram a projeção de crescimento nas receitas, impulsionadas por melhora nas vendas de smartphones, bem como por expectativas positivas com as vendas do videogame PlayStation 4.

As ações da companhia de telecomunicações KDDI também chamaram atenção pela alta de 3,0%, guiadas pela reportagem do jornal Nikkei de que a empresa anunciará um lucro operacional de cerca de 340 bilhões de ienes no período de abril a setembro, um crescimento de 50% sobre o período anterior. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Japãobolsa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.