Novas contribuições da previdência privada crescem 21,2%

O primeiro semestre de 2006 foi marcado por crescimento de 21,2% no mercado de previdência complementar. Dados divulgados pela Anapp (Associação Nacional de Previdência Privada) apontam expansão no volume de novas contribuições até junho. Ingressaram R$ 9,9 bilhões no sistema contra R$ 8,2 bilhões registrados no mesmo período de 2005. O valor representa a metade dos recursos captados em todo o ano passado ( R$ 19,5 bilhões). A expectativa do setor para o ano de 2006 é otimista porque 65% de toda a captação do ano costuma acontecer no segundo semestre, divulgou a Anapp em comunicado. O bom desempenho do setor pode ser creditado à alta de 43,54% da captação das vendas de planos VGBL, que atingiu R$ 6,2 bilhões no período. Com isso, o produto representa 63% do volume de novos depósitos que ingressaram no sistema no período. O PGBL teve captação de R$ 2,1 bilhões no período, com alta de 9,78% na comparação com o primeiro semestre de 2005, quando captou R$ 1,9 bilhão. Com isso, a captação desse produto equivale a 22% do total de contribuições. Os planos tradicionais chegaram a captar R$ 1,4 bilhão, com queda de 17,91% na comparação com o primeiro semestre de 2005, quando captaram R$ 1,8 bilhão. A participação dos planos tradicionais no volume de novas contribuições equivale a 15% do total. Em relação às seguradoras, a Bradesco Vida e Previdência mantém liderança de captação, com 38% dos volumes, seguida pela Itaú Vida e Previdência (18%), Brasilprev (11%), Unibanco (8%), Caixa Vida e Previdência (7%), HSBC (4%), Real (3%), Santander (3%), Icatu Hartford (2%) e Capemi (1%). As demais seguradoras somam 5% do total de novas contribuições. Individuais e menores de idade O destaque do período ficou por conta dos planos individuais. De acordo com o levantamento da Anapp, a captação dos planos individuais cresceu 26,14%, passando de R$ 6,2 bilhões para R$ 7,8 bilhões. Com isso, o volume de contribuição dos planos individuais equivale a 79% do total de contribuições. Já os planos para menores mantêm uma boa performance, com crescimento de 13,86% no volume de novas contribuições no acumulado até junho de 2006, quando a captação chegou a somar R$ 377,8 milhões nessa modalidade de produto. Até junho de 2005, os planos para menores captaram R$ 331,8 milhões. Os planos para menores representam 4% do volume de captação de novos investimentos. A captação dos plano corporativos cresceu 3,5% no período, passando de R$ 1,664 bilhão para 1,608 bilhão, com 17% de participação no mercado, em volume, de novas contribuições.

Agencia Estado,

14 de agosto de 2006 | 15h25

Tudo o que sabemos sobre:
fundos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.