Novo plano estratégico derruba ações da Petrobras

As ações da Petrobras estão em queda no pregão desta manhã na Bolsa de Valores de São Paulo, com o mercado pouco amistoso ao novo planejamento estratégico anunciado pela empresa. Em resumo, investidores avaliam que a empresa elevou investimentos sem aumentar produção. Até mesmo o momento escolhido para a divulgação do planejamento é criticado: o comunicado à imprensa saiu no fim da noite de sexta-feira, às de vésperas do fim de semana e de feriado nos EUA. Após cair 1,7% na mínima, Petrobras PN registrava baixa de 0,30% às 10h55, para R$ 43,05, com R$ 65 milhões negociados, quase quatro vezes o volume girado por Vale PNA, de R$ 17 milhões. A ação da mineradora opera com alta de 0,91%. As ações ordinárias da Petrobras perdem 0,25%. Apesar de a desvalorização dos papéis da petrolífera não ser de grande proporção, destoa da tendência do mercado esta manhã. O Ibovespa tem alta de 1,30%, aos 37.108 pontos. "Todo ano a Petrobras surpreende para cima no plano estratégico, mas nem sempre executa o orçado. Agora subir investimento e não aumentar produção desanima os investidores", afirma um operador. A Petrobras divulgou na noite da sexta-feira seu novo planejamento estratégico, que prevê investimentos de US$ 87,1 bilhões entre 2006 e 2011, volume 66% superior ao previsto no plano antigo, que ia até 2010. Segundo a estatal, houve grande incremento nos recursos para o setor de gás, que vai receber US$ 22,1 bilhões - incluindo recursos de parceiros - com o objetivo de assegurar o atendimento do mercado. O documento estima que, em 2011, a empresa estará produzindo 3,493 milhões de barris por dia no País, sendo que 2,95 milhões serão extraídos no Brasil. Em 2015, a produção total deve saltar para 4,556 milhões de barris.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.