NY abre em baixa no 5º aniversário dos atentados

Com um minuto de silêncio em memória pelos mortos nos atentados terroristas de 11 de setembro de 2001 nos EUA, a Bolsa de Nova York abriu hoje seu pregão em tom negativo, sem encontrar conforto na queda acentuada dos futuros de petróleo. O índice Dow Jones caía 0,18% às 10h38, seguido pelo Nasdaq, em queda de 0,48%. A Dell contribuía para tirar o apetite de compras dos investidores, após informar que atrasará a publicação de seus resultados financeiros. O petróleo para outubro cedia 1,19%, para US$ 65,46 por barril, na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), reagindo a sinais de que o Irã flexibilizou sua posição quanto ao seu programa de enriquecimento de urânio. Um diplomata europeu que acompanhou o encontro do chefe para Relações Exteriores da União Européia, Javier Solana, com Ali Larijani, principal negociador para assuntos nucleares do Irã, disse que o governo de Teerã teria se mostrado disposto a acatar a exigência do Conselho de Segurança a ONU para parar com seu enriquecimento de urânio. A notícia ofuscava a reunião da OPEP, em Viena, que deve culminar com a manutenção das cotas de produção de seus países membros. O noticiário no front corporativo, no entanto, oferecia motivos de cautela. No pré-mercado, as ações da Dell cediam 4,1%, após a líder mundial em computadores pessoais ter informado que uma investigação anunciada anteriormente sobre suas reservas, acúmulo de patrimônio e outros itens do balanço vai provocar o atraso da divulgação de seus comunicados financeiros referentes ao segundo trimestre deste ano. A empresa informou também que está suspendendo o programa de recompra de ações e adiando uma reunião com analistas marcada para esta quarta-feira. Não foi agendada uma nova data para esse evento. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

11 de setembro de 2006 | 10h40

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.