NY abre em queda com corte de vagas no setor privado

Segundo a pesquisa ADP/MA, houve corte de 23 mil vagas de emprego no setor privado em março

Danielle Chaves, da, Agência Estado

31 de março de 2010 | 10h34

Os principais índices das Bolsas de Nova York abriram hoje em queda, após um inesperado corte no número de vagas no setor privado dos EUA em março. Segundo a pesquisa da Automatic Data Processing/Macroeconomic Advisers (ADP/MA), houve corte de 23 mil vagas de emprego no setor privado em março.

O dado veio bem pior que o previsto pelos economistas, que esperavam aumento de 50 mil postos de trabalho. O dado é observado pelo mercado como antecedente do payroll do governo dos EUA, que abrange também os números sobre o emprego no setor público e será anunciado nesta sexta-feira. O mercado aguarda agora a divulgação do índice de atividade dos gerentes de compras de Chicago, às 10h45, e as encomendas à indústria dos EUA, às 11 horas. Os horários são de Brasília.

Entre as companhias em destaque hoje está Honeywell International, que elevou ontem sua perspectiva para o primeiro trimestre deste ano, citando encomendas e vendas mais fortes, além de controle de custos. Com relação a atividades de fusão e aquisição, a mineradora de carvão australiana Macarthur Coal rejeitou uma oferta de compra de US$ 3 bilhões feita pela norte-americana Peabody Energy.

As empresas do setor de petróleo, que opera acima de US$ 83 por barril na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês), também devem atrair as atenções hoje em seguida a relatos de que o presidente dos EUA, Barack Obama, vai propor permitir a exploração e o desenvolvimento de petróleo e gás natural em uma grande área do Golfo do México. O governo planeja anunciar as novas medidas hoje. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasDow JonesNasdaqações

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.