NY abrirá focando impasse nos EUA e balanços de bancos

Os índices futuros das bolsas norte-americanas operam com volatilidade nesta sexta-feira, 11, sugerindo uma abertura sem direção única nos mercados à vista nesta sexta-feira, 11. Mais cedo, os índices apontavam para cima, refletindo o otimismo dos investidores com a possibilidade de o governo dos Estados Unidos conseguir superar o atual impasse fiscal. Após a divulgação dos balanços trimestrais do JPMorgan e Wells Fargo, no entanto, os futuros ficaram mais voláteis. Por volta das 10h20, no mercado futuro, o índice Dow Jones caía 0,02% e o S&P 500 recuava 0,13%, enquanto o Nasdaq tinha ligeira alta de 0,01%.

Agencia Estado

11 de outubro de 2013 | 10h38

Republicanos da Câmara dos Representantes fizeram à Casa Branca uma proposta de prorrogar o limite de endividamento dos EUA por seis semanas em troca de discussões sobre uma ampla gama de questões orçamentárias. Embora a reunião entre o presidente Barack Obama e deputados republicanos tenha acabado ontem à noite de forma inconclusiva, ambos os lados prometeram continuar o diálogo. Nesta sexta-feira, Obama terá uma reunião com senadores republicanos, sem previsão de horário.

A disposição de negociar mostrada pelo governo e congressistas em Washington gerou esperanças de que saiam acordos para elevar o teto da dívida norte-americana, que será atingido no próximo dia 17, e suspender a paralisação federal parcial que teve início na terça-feira, 1.

Dados de inflação ao produtor e de vendas no varejo dos EUA, previstos para esta manhã, foram adiados por causa da paralisação. Às 10h55 (pelo horário de Brasília), no entanto, a Universidade de Michigan divulga o índice preliminar de sentimento do consumidor referente a outubro.

O JPMorgan abriu nesta manhã a temporada de balanços financeiros dos EUA divulgando prejuízo líquido de US$ 380 milhões no terceiro trimestre, graças a um aumento de US$ 9,15 bilhões nas provisões para disputas judiciais. Apesar do prejuízo, os investidores aparentemente gostaram de ver que banco está disposto a se proteger em eventuais litígios judiciais e sua ação subia mais de 1% no pré-mercado.

Já o Wells Fargo anunciou lucro líquido recorde de US$ 5,58 bilhões no trimestre encerrado em setembro, 13% maior que em igual período do ano passado, mas a receita veio aquém do esperado, a US$ 20,48 bilhões. Antes da abertura dos mercados em Wall Street, a ação do banco caía quase 1,7%. E a Gap, varejista do setor de vestuário, tinha queda de quase 6% no pré-mercado após divulgar queda nas vendas de mesmas lojas de setembro. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
NYbancosbalanços

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.