NY deve abrir em alta a despeito de resultado do varejo

As bolsas dos Estados Unidos devem abrir o pregão desta quarta-feira, 13, em alta, sinalizam os índices futuros. As vendas no varejo no país em julho decepcionaram, com os piores números em seis meses, mas mesmo assim as compras de ações predominam neste início de quarta-feira. Às 10h15 (de Brasília), no mercado futuro, o Dow Jones subia 0,22%, o Nasdaq avançava 0,38% e o S&P 500 ganhava 0,30%.

ALTAMIRO SILVA JÚNIOR, CORRESPONDENTE, Estadão Conteúdo

13 de agosto de 2014 | 10h32

Depois dos últimos dois dias com agenda morna, a quarta-feira promete ser mais agitada, contando também com duas apresentações de dirigentes regionais do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), o do escritório de Nova York, William Dudley, e o de Boston, Eric Rosengren (Boston). O primeiro tem poder de voto no Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) e o segundo só terá em 2016.

Entre os indicadores, as vendas no varejo ficaram estáveis em julho na comparação a junho. A expectativa dos analistas era de expansão de 0,2%, de acordo com consenso calculado pela Dow Jones. O indicador era um dos mais esperados da semana, pois é o primeiro a dar mostras de como o consumo interno, motor da economia norte-americana, começou o terceiro trimestre.

O economista-chefe do Deutsche Bank, Joseph LaVorgna, destaca que ficou decepcionando, sobretudo, com o núcleo das vendas no varejo, quando se excluem automóveis, que subiram 0,1%, disse em rápido comentário sobre os números de hoje. O economista previa alta de 0,4% para o núcleo, o número menos volátil que as vendas gerais e, por isso, destaca ele, usado para fazer inferências sobre os gastos com consumo no Produto Interno Bruto (PIB).

Após a abertura do mercado, às 11h (de Brasília) saem os estoques das empresas com números de junho. Os estoques são outro componente importante do PIB. A expectativa do Deutsche é de expansão de 0,3%.

Os índices futuros subiam desde o início da manhã, mesmo com notícias do exterior pouco favoráveis. A situação na Ucrânia segue tensa e, na zona do euro, a produção industrial mostrou uma inesperada queda em junho, frustrando os economistas. O ritmo de alta continuou após os dados de venda no varejo dos EUA.

No noticiário corporativo, resultados trimestrais são o destaque. A empresa de alimentos Hillshire Brands lucrou US$ 27 milhões no segundo trimestre, queda de 23%. As receitas subiram 11% e, assim como os ganhos, superaram as previsões de analistas. No pré-mercado, o papel subia 0,13%. Já a ação da rede de lojas Macy''s cedia quase 5% após a empresa reduzir suas projeções de vendas para o ano fiscal de 2014 e apresentar lucro abaixo do previsto.

Ainda nos balanços, as ações da King Digital Entertainment, que abriu o capital recentemente e é mais conhecida como a fabricante do jogo Candy Crush, despencavam 24% no pré-mercado. A companhia divulgou na terça-feira, 12, após o fechamento do mercado alta de 31% no lucro, dentro do esperado. Mas as vendas ficaram abaixo do previsto e a companhia ainda divulgou projeções mais pessimistas para as reservas brutas de jogos no terceiro trimestre.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsas de valoresNYvarejo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.