NY deve abrir em alta após números positivos de emprego

As bolsas norte-americanas devem iniciar o pregão desta sexta-feira, 7, com ganhos, conforme sinalizam os índices futuros. Os dados do mercado de trabalho de fevereiro, com números melhores do que o esperado, ajudam a aumentar o apetite por risco nesta manhã em Wall Street. Às 11h20 (de Brasília), o Dow Jones futuro subia 0,40%, o Nasdaq ganhava 0,28% e o S&P 500 tinha alta de 0,39%.

ALTAMIRO SILVA JÚNIOR, CORRESPONDENTE, Agencia Estado

07 de março de 2014 | 11h28

O relatório mensal de emprego (também chamado de payroll) divulgado hoje pelo Departamento de Trabalho dos EUA, mostrou a criação de 175 mil vagas em fevereiro. A expectativa dos economistas era de 152 mil, segundo consenso calculado pela Dow Jones. Já a taxa de desemprego teve movimento oposto ao previsto e subiu de 6,6% para 6,7%, ante projeção de que recuasse para 6,5%.

Ao contrário de dezembro e janeiro, os dados de criação de vagas de fevereiro surpreenderam positivamente. Os índices futuros que operavam com ligeiros ganhos aceleraram a alta após o anúncio dos números. Para a diretora do departamento de Análise Macroeconômica do instituto The Conference Board, Kathy Bostjancic, um dos destaques dos dados de hoje foi o aumento da contratação no setor de construção e, no geral, os números sinalizam que a recuperação econômica continua.

Com a dissipação dos efeitos do inverno rigoroso na economia, o nível de criação de vagas pode voltar em breve para a casa dos 200 mil ao mês. "Esperamos que a primavera (nos EUA) derreta o gelo e aqueça os indicadores econômicos", escreveu Kathy em um e-mail comentando o relatório de emprego de hoje.

Após o payroll, a expectativa agora é para apresentação do presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) de Nova York, William Dudley, que vota nas reuniões de política monetária. Ele fala às 14h (de Brasília) e já pode comentar o que achou dos números do mercado de trabalho. Ontem, Dudley se mostrou otimista com a economia, apesar dos efeitos do inverno e afirmou que vê o Produto Interno Bruto (PIB) do país crescendo ao redor 3% este ano.

Além de Dudley, o presidente anterior do Fed, Ben Bernanke, faz uma apresentação em uma conferência de energia em Houston, que deve começar às 13h30 (de Brasília) e durar uma hora. Suas declarações devem ser monitoradas de perto por Wall Street, pois foi Bernanke que orquestrou a política monetária em curso no país e que a atual presidente do Fed, Janet Yellen, prometeu manter.

Com relação à Ucrânia, a expectativa de Wall Street é com o que pode ocorrer durante o final de semana nas negociações diplomáticas envolvendo EUA, Europa e Rússia. Ontem, o presidente Barack Obama teve uma conversa de uma hora por telefone com o russo Vladimir Putin na qual pediu uma solução diplomática para a crise.

No noticiário corporativo, as ações da rede de supermercados Safeway operavam em queda de 2,96% no pré-mercado. Ontem, o fundo de private equity Cerberus Capital Management anunciou a compra da empresa em um negócio de US$ 9 bilhões, a maior aquisição alavancada (quando se usa dinheiro próprio e crédito bancário) do ano. O fundo pretende fundir o Safeway com a Albertsons, uma rede menor de lojas que possui.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsas de valoresNYemprego

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.