NY deve abrir em queda, com investidor vendendo ações

As bolsas norte-americanas devem abrir o pregão desta sexta-feira, 25, em queda, sinalizam os índices futuros. O resultado decepcionante da Ford no primeiro trimestre e o agravamento da crise na Ucrânia estimulam uma realização de lucros em Wall Street. Às 10h17 (de Brasília), o Dow Jones futuro perdia 0,39%, o S&P 500 tinha baixa de 0,36% e o Nasdaq recuava 0,63%.

ALTAMIRO SILVA JÚNIOR, CORRESPONDENTE, Agencia Estado

25 de abril de 2014 | 10h28

Nos Estados Unidos, os balanços de empresas seguem roubando a cena, num dia que tem apenas um indicador previsto. Logo após a abertura do mercado, sai o índice de sentimento do consumidor da Universidade de Michigan, com os números finais de abril. Em março, o indicador ficou em 80 e o Bank of America Merrill Lynch projeta que o índice subirá para 83,5. O número será divulgado às 10h55 (de Brasília).

Para o economista-chefe do BoFA, Ethan Harris, a melhora do mercado de trabalho em março deve ajudar a aumentar a confiança dos consumidores. Dados bons das vendas de varejo e de automóveis no período indicam que os norte-americanos estão consumindo um pouco mais, destaca ele. Já o setor de construção civil, que tem tido dificuldade de engrenar uma recuperação mais sustentada, deve pensar negativamente na confiança dos agentes.

A crise na Ucrânia vinha tendo impacto reduzido nos negócios em Wall Street nos últimos dias, com os investidores animados por alguns indicadores da economia norte-americana e balanços de empresas melhores que o previsto, destaca o analista sênior do Danske Bank, Morten Helt. Mas as tensões se agravaram, sobretudo na fronteira leste da Ucrânia com a Rússia, o rating soberano russo foi rebaixado pela Standard & Poor''s e ontem o secretário de Estado dos EUA, John Kerry, ameaçou Moscou com novas sanções e falou do risco de fuga maciça de capital externo. "A situação piorou e a crise parece estar se agravando", afirma Helt em uma análise a investidores.

No mundo corporativo em Wall Street, os resultados trimestrais seguem dominando o noticiário. Hoje, a agenda de divulgação de resultados segue agitada, embora com menos grandes nomes que nos últimos dias. Entre as companhias que anunciam resultados estão a montadora Ford, a Colgate-Palmolive e a agência de classificação de risco Moody''s. A Ford anunciou lucro de US$ 989 milhões no primeiro trimestre, queda de 39% ante o mesmo período do ano passado. O ganho ficou abaixo do esperado pelos analistas do setor automobilístico e no pré-mercado o papel recuava 1,96%.

As ações da Microsoft, por outro lado, subiam 1,46% no pré-mercado. Ontem após o fechamento da bolsa, a empresa divulgou queda de 6,5% no lucro em seu terceiro trimestre fiscal, para US$ 5,7 bilhões. O resultado, porém, bateu as expectativas.

Outra gigante do setor de tecnologia e internet, a Amazon, anunciou ganho de US$ 107 milhões no primeiro trimestre, aumento de 31,7% na comparação com o mesmo período de 2013. O ganho veio dentro do esperado, mas as receitas cresceram 23% e bateram as projeções. No pré-mercado, porém, o papel recuava 5,09%.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsas de valoresNYFord

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.