NY fecha em direções divergentes em dia de Black Friday

As bolsas de Nova York fecharam em posições divergentes nesta sexta-feira, 29, em dia de volume reduzido de negócios após o feriado de Ação de Graças na véspera nos Estados Unidos. Nesta sexta os mercados funcionaram por meio período, até às 16h (de Brasília). O índice Nasdaq foi o único a terminar a sessão em alta. Na semana e no mês, entretanto, todos os índices registraram ganhos. Tanto o Dow Jones como o S&P500 acumularam alta pela oitava semana consecutiva e pelo terceiro mês seguido.

EDGAR MACIEL, COM INFORMAÇÕES DA DOW JONES NEWSWIRES, Agencia Estado

29 de novembro de 2013 | 17h09

O índice Dow Jones recuou 11 pontos (0,17%), aos 4.059 pontos. Na semana, o ganho foi de 1,7% e, no mês, de 3,6%. O S&P500 caiu 1 ponto (0,08%) e fechou em 1.805 pontos, mas subiu 0,1% no acumulado semanal e teve alta de 2,8% em novembro. Já o Nasdaq subiu 15 pontos (0,37%), aos 4.059 pontos. Na semana, o ganho foi de 1,7%, acompanhado de uma alta de 3,6% no mês.

Em dia de agenda econômica vazia, o mercado corporativo foi o destaque, com as ações das redes varejistas, que foram impulsionadas pelo Black Friday. O dia deu uma prévia sobre o movimento do comércio norte-americano nas festas de fim de ano. Durante toda a sexta-feira, as lojas estiveram cheias, com filas na porta e muitos estrangeiros - principalmente brasileiros - comprando produtos eletrônicos.

"As leituras iniciais da Black Friday são fortes. Parece que tivemos um feriado decente para as redes varejistas, e isso está alimentando algum otimismo para o curto prazo", disse Matthew Kaufler, gestor de carteira do Federated Clover Value Fund, referindo-se ao dia de liquidações que se segue ao feriado de Ação de Graças.

Para o analista Colin Cieszynski, da CMC Markets, "tudo agora é impulso. As pessoas estão ficando mais satisfeitas com a economia norte-americana".

Os destaques do setor varejista foram Ebay (2,47%), Amazon (1,79%), Wal-Mart (0,10%) e Best Buy (2,37%). Entre as ações de tecnologia, a Apple liderou os ganhos com alta de 1,85%, influenciada pela notícia de que três de cada quatro smartphones vendidos no Japão em novembro eram da empresa.

Na contramão, os papéis da Archer-Daniels Midland, do setor de agronegócio, fecharam em queda de 2,99%, depois de o governo da Austrália vetar a aquisição da GrainCorp pela empresa.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsas de valores

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.