NY iniciará negócios de olho nas vendas de imóveis novos

Os índices futuros sinalizam uma abertura em leve alta das bolsas norte-americanas no último pregão desta semana, antes do feriado prolongado nos Estados Unidos. Os investidores aguardam números das vendas de imóveis novos que saem após a abertura do mercado. Às 10h15 (de Brasília), no mercado futuro, o Dow Jones ganhava 0,01%, o S&P 500 subia 0,04% e o Nasdaq avançava 0,11%.

ALTAMIRO SILVA JÚNIOR, CORRESPONDENTE, Agencia Estado

23 de maio de 2014 | 10h26

A sexta-feira, 23, já tem um clima de quase feriado em Wall Street, com o mercado de bônus fechando mais cedo, às 15h (de Brasília), e a previsão de que o volume de negócios nas bolsas hoje deve ser menor do que nos dias anteriores. Na segunda-feira, comemora-se o Memorial Day nos EUA, para lembrar os norte-americanos mortos em guerras.

A grande expectativa do dia é para as vendas de novas residências, com números de abril. O indicador, o único do dia na agenda, será divulgado às 11h (de Brasília). Ontem, as vendas de moradias usadas decepcionaram. Elas subiram 1,3% em abril ante março, interrompendo uma sequência de quedas mensais desde julho do ano passado, mas vieram abaixo do previsto. Além disso, caíram 6,8% na comparação com abril de 2013.

Para o dado de hoje, o economista do RBC Capital Markets, Tom Porcelli, projeta números melhores que o das as residências usadas. A expectativa é de expansão de 8% nas vendas ante março, para o nível de 415 mil moradias. Segundo ele, uma melhora recente nos pedidos de hipotecas sinaliza que as vendas de imóveis, no geral, devem ser melhores neste segundo trimestre. Já o Deutsche Bank está ainda mais otimista e prevê aumento de 10,7% nas vendas.

No noticiário corporativo, a reta final dos balanços trimestrais era destaque esta manhã, com os investidores repercutindo os números. A empresa de vestuário Aeropostale registrava uma das maiores quedas do pré-mercado, recuando 19,3% após a notícia de que seu prejuízo no primeiro trimestre aumentou para US$ 76,8 milhões ante US$ 12,2 milhões no mesmo período de 2013. No mesmo segmento, o lucro da Gap caiu 22%, para US$ 260 milhões, e a ação operava perto da estabilidade no pré-mercado.

Já a fabricante de computadores Hewlett-Packard (HP) divulgou números dentro do esperado e ainda anunciou um programa de demissões que pode chegar a 16 mil funcionários. O lucro líquido cresceu 17,6%, para US$ 1,28 bilhão. A ação subia 0,66% no pré-mercado.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsas de valoresNYimóveis

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.