NY pode abrir com recordes à espera de dirigentes do Fed

Os índices futuros apontam para uma abertura em alta das bolsas norte-americanas nesta segunda-feira, com os índices Dow Jones e S&P 500 podendo iniciar a semana em níveis recordes de pontuação. As atenções do mercado devem se voltar para apresentações ao longo do dia de dirigentes regionais do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos). Às 12h20 (de Brasília), o Dow Jones futuro subia 0,37%, o Nasdaq ganhava 0,10% e o S&P 500 avançava 0,25%.

(ALTAMIRO SILVA JÚNIOR, CORRESPONDENTE, Agencia Estado

18 de novembro de 2013 | 12h32

Entre as apresentações de presidentes regionais do Fed previstas para esta segunda-feira, duas devem ser monitoradas mais de perto, pois são de dirigentes com poder de voto nas reuniões de política monetária do banco central. O presidente do Fed de Nova York, William Dudley, fala nesta tarde, às 15h15 (de Brasília) e o responsável pela regional de Boston, Eric Rosengren, tem apresentação prevista para às 16h (também de Brasília) em um evento sobre regulação bancária.

Os dois apoiam a política monetária do Fed, mas enquanto Rosegren sinalizou em declarações no começo do mês que ainda não é o momento para a retirada dos estímulos, porque o mercado de trabalho ainda não tem crescido de forma substancial, Dudley tem mantido postura discreta sobre o tema. Nos últimos dois meses, ele evitou falar de política monetária. Em uma apresentação no final de outubro, o dirigente se limitou a comentar sobre os bancos grandes demais para a falir e, no começo deste mês, também voltou a falar do assunto. Essa discrição sobre os rumos da política monetária só ajuda a aumentar a expectativa sobre eventuais declarações hoje, destacam os economistas.

Na avaliação do economista do TD Bank, Thomas Feltmate, as declarações na semana passada da indicada para comandar o Fed, Janet Yellen, ajudaram a dar um pouco mais de luz ao mercado, sobretudo quando ela frisou que a economia ainda não cresce no ritmo desejado e, portanto, os estímulos monetários ainda são necessários, destaca em um relatório a investidores. A queda inesperada da produção industrial de outubro ajudou a alimentar essa percepção e levou as bolsas a fecharem em níveis recordes na sexta-feira. Agora, o interesse é ver como outros dirigentes do Fed vão reagir às declarações de Yellen.

Além das apresentações dos dirigentes do Fed, será divulgado logo após a abertura do mercado o índice de confiança das construtoras de novembro. A equipe de economistas do Bank of America Merrill Lynch espera que aumente o otimismo entre os empresários do setor, em meio à melhora acima do previsto do mercado de trabalho em outubro e da manutenção da alta dos preços dos imóveis mostrada pelo índice Case-Shiller. O banco projeta que o indicador fique em 56 este mês, acima dos 55 de outubro. O índice será divulgado às 13h (de Brasília).

No noticiário corporativo, a Boeing era destaque de alta no pré-mercado nesta manhã e subia 3,18%. Em uma feira de aviação em Dubai, a fabricante de aeronaves dos EUA teve número recorde de pedidos no lançamento de seu novo modelo, o avião 777X. Ao todo, as ordens somaram US$ 100 bilhões, segundo o The Wall Street Journal.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsas de valores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.