Ocean Air diz que não participará do leilão da Varig

O presidente da companhia aérea Ocean Air, Carlos Ebner, disse hoje que a empresa não pretende disputar o leilão de venda da Varig previsto para amanhã, no Rio de Janeiro. Segundo Ebner, o maior problema da Varig são seus passivos trabalhista e fiscal."Não vemos como blindar essa dívida", disse o presidente da Ocean Air, ao relatar que participou pessoalmente dos estudos realizados pela empresa quando ela pensou em participar do primeiro leilão da companhia gaúcha realizado no início de junho. Nesse leilão, o único lance foi feito pela Nova Varig (NV) Participações, integrada pela entidade Trabalhadores do Grupo Varig (TGV), dos funcionários da empresa, mas que não conseguiu fazer o depósito inicial para adquirir a companhia.Ebner convocou hoje a imprensa, em Brasília, para anunciar os planos de expansão da empresa aérea que incluem a capital federal como uma das cidades principais. Desde o dia 28 de junho, a Ocean Air opera de segunda a sexta-feira saídas de Brasília para Porto Alegre, Rio de Janeiro (Galeão) e Petrolina. Este último vôo faz paradas em Salvador e Recife.O principal executivo da companhia criticou alguns aspectos do processo de realização da nova tentativa de vender a Varig. "Algumas coisas nos parecem estranhas, como o fato de se estarem usando as mesmas regras do leilão antigo. Outra coisa é que vai acontecer o leilão, mas não saiu o edital", afirmou Ebner, acrescentando que se refere não a um anúncio oral da Justiça do Rio de Janeiro, mas à publicação oficial do edital. "O que deveria ter acontecido é que depois da assembléia de credores deveria ter saído o edital", completou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.