Oferta de ações do BB foi totalmente adquirida

O pequeno investidor que optou por comprar ações do Banco do Brasil vai conseguir levar para casa a totalidade da reserva feita por um preço bastante acessível. Segundo fontes do mercado, a oferta pública de ações do BB foi um sucesso porque todo o lote oferecido e mais um adicional de 15% foi totalmente adquirido pelo mercado. O dinheiro arrecadado com a venda das ações, estimado em R$ 2,2 bilhões, o equivalente a US$ 1 bilhão, será dividido entre o banco, Previ (fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil) e Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), proprietários das ações ofertadas ao público. Os pequenos investidores de varejo, que são as pessoas físicas e as jurídicas não financeiras, absorveram 30% do total de ações ofertadas. Os demais 70% vão para as mãos dos grandes investidores institucionais. De acordo com a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o preço unitário da ação foi de R$ 43,50, o que representa um desconto de 7% no preço que vinha sendo negociado na Bolsa de Valores de São Paulo. Com a conclusão da oferta pública, o BB praticamente deve dobrar a quantidade de ações hoje negociadas em bolsa, que representam cerca de 7% do capital do banco. Na oferta realizada foram colocadas à venda 45 milhões de ações, o equivalente a 5,5% do capital do banco. Desse total, 11,4 milhões de ações, correspondentes a 1,5% do capital, são do próprio BB. Os demais 4% são de propriedade da Previ e do BNDES. A parcela do Tesouro Nacional, de 2%, ficou de fora dessa oferta porque o governo não conseguiu organizar a venda a tempo. Para participar da oferta, a reserva mínima correspondia a R$ 1 mil e a máxima a R$ 300 mil, em dinheiro. O prazo para a reserva de ações terminou na sexta-feira. Não foi permitido o uso do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.