Oferta pública de ações da Gol continuará suspensa

O vice-presidente técnico da Gol Linhas Aéreas, David Barioni, disse que a companhia ainda não decidiu se irá retomar a oferta pública primária e secundária de ações, que serviria como fonte de recursos para a aquisição de novos aviões. O pedido de registro chegou a ser apresentado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) em maio deste ano, mas foi retirado pela empresa na semana passada. Conforme Barioni, a desistência ocorreu em função das condições do mercado financeiro. "Estamos aguardando e ainda não sabemos quando voltaremos ou se voltaremos a fazer a oferta. Mas, por enquanto, a operação está suspensa", disse.Barioni participou hoje, ao lado de outros executivos da empresa, da inauguração do novo Centro de Manutenção da companhia, no Aeroporto Internacional de Confins, região metropolitana de Belo Horizonte. O empreendimento recebeu investimentos da ordem de R$ 30,5 milhões e será responsável por toda a manutenção da frota de aeronaves que até agora era feita pela Varig Engenharia e Manutenção (VEM) no Rio de Janeiro e no Rio Grande do Sul. A estimativa é de que o novo centro irá proporcionar uma redução de custos da ordem de US$ 2 milhões ao ano, além da receita adicional proveniente dos serviços prestados a terceiros. O retorno do investimento, conforme Barioni, deve ocorrer em um prazo de 5 a 7 anos.

Agencia Estado,

15 de setembro de 2006 | 16h59

Tudo o que sabemos sobre:
empresas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.