Ofertas realizadas em 2010 já somam R$ 14,2 bi

 FIDC aparecem com R$ 2,830 bilhões e as quotas de FIP com R$ 1,015 bilhão.

Adriana Chiarini, da Agência Estado,

19 de março de 2010 | 08h49

As ofertas já realizadas em 2010 somam R$ 14,217 bilhões, de acordo com a Comissão de Valores Mobiliários (CVM). O valor inclui as ofertas registradas e dispensadas de registros até ontem e as distribuídas com esforços restritos (regulamentadas pela instrução 476) até fevereiro.

 

Em valor, as debêntures lideram as ofertas este ano, com R$ 4,946 bilhões, seguidas pelas ações, com R$ 4,370 bilhões. Os Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) aparecem com R$ 2,830 bilhões e as quotas de Fundos de Investimento em Participações (FIP) com R$ 1,015 bilhão.

 

Os demais tipos de valores mobiliários isoladamente tiveram ofertas de menos de R$ 1 bilhão. Os principais foram os Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI), com aproximadamente R$ 558 milhões e as notas promissórias, com R$ 380 milhões.

 

A presidente da CVM, Maria Helena de Santana, comentou hoje em cerimônia de assinatura de convênio com a Polícia Federal que "o mercado brasileiro tem sido capaz de atrair investidores nacionais e internacionais". Na mesma ocasião, para realçar a importância do mercado de capitais brasileiro, disse que no ano passado as ofertas superaram R$ 120 bilhões e neste início de 2010, ele "já viabilizou ofertas de quase R$ 14 bilhões".

 

De fato, se não forem contadas as ofertas pela instrução 476, elas não chegam a R$ 14 bilhões. Foram 38 ofertas registradas que somam R$ 11,492 bilhões. Outras 16 que somam aproximadamente R$ 1,670 bilhão são dispensadas de registro.

Tudo o que sabemos sobre:
CVM, debêntures

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.