OGPar: agência da Colômbia veta proposta sobre ativos

A Óleo e Gás Participações (OGPar) informa que a agência

FÁTIMA LARANJEIRA, Agência Estado

11 de julho de 2014 | 21h29

reguladora do setor de petróleo e gás da Colômbia (Agencia Nacional de Hidrocarburos ou ANH) não aprovou a proposta de venda dos ativos da OGX localizados na Colômbia, nas bacias de Cesar Rancheria "CR-2", "CR-3" e "CR-4" e Vale Inferior do Magdalena "VIM-5", e "VIM-19" ("Ativos"), cuja oferta havia sido divulgada em 25 de abril.

Como consequência, a ANH cancelou os contratos de avaliação técnica relativos aos blocos da Bacia de Cesar Ranchería e executou as cartas de crédito (standby letters) oferecidas como garantia e expedidas pelo banco garantidor no valor de aproximadamente US$ 24 milhões. "O indeferimento pela ANH está ligado à alocação dos investimentos referentes aos compromissos exploratórios previstos na proposta", afirma a empresa em fato relevante.

A companhia afirma que a OGX está tomando as medidas cabíveis de maneira a evitar que a execução das garantias pela ANH tenham efeito sob seu patrimônio e para que seja analisada a nova proposta referente à transferência e alienação dos Ativos Remanescentes ou de parte deles.

Novo acordo

A OGPar afirma ainda que a OGX e a ofertante assinaram nesta quinta-feira, 10, novo acordo no montante global de US$ 30 milhões, com o objetivo de apresentarem outra proposta à ANH referente à transferência e alienação dos ativos remanescentes localizados no Vale Inferior do Magdalena, sob os contratos "VIM-5", e "VIM-19".

De acordo com a OGPar, os blocos localizados na área de Cesar Rancheria apresentam dificuldades na execução de "quaisquer trabalhos exploratórios, por ser uma área caracterizada por complexidades socioambientais, incluindo a presença de comunidades indígenas e áreas de proteção ambiental". "Além disso, a análise econômica da área revelou um perfil risco versus retorno inadequado", afirma, completando que, por isso, a companhia decidiu não contestar a decisão da agência sobre o cancelamento dos contratos, mas estuda medidas para reduzir outras penalidades eventualmente aplicáveis.

Em abril, a OGPar informou que sua controlada OGX Petróleo e Gás recebeu oferta firme pelos blocos localizados nas bacias de Cesar Rancheria (CR-2, CR-3 e CR-4) e Vale Inferior do Magdalena (VIM-5 e"VIM-19 ). A oferta previa o pagamento de US$ 30 milhões à OGX pelos ativos, a liberação de obrigações regulatórias e US$ 14 milhões que estão dados em garantia a cartas de crédito requeridas pela ANH.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.