OGX dispara quase 50% e sustenta alta da bolsa

Apesar de morosidade na venda de demais ações, desempenho da petrolífera de Eike Batista puxou o Ibovespa para valorização de 1,5%

Claudia Violante, da Agência Estado,

15 de outubro de 2013 | 18h01

A Bovespa contrariou as bolsas norte-americanas hoje e operou com alta firme, impulsionada principalmente pela disparada das ações da OGX. A empresa de Eike Batista subiu apenas nesta terça-feira, 15, 47,83%. Outra alta considerável, embora bem abaixo, foi a das ações da MMX, também de Eike: de 6,06%.

O Ibovespa terminou em alta de 1,50%, aos 54.980,64 pontos, depois de registrar 55.190 pontos (+1,88%) na máxima da sessão. Na mínima, caiu 0,22% e atingiu os 54.053 pontos. No mês, acumula valorização de 5,05% e, no ano, perda de 9,80%. O giro financeiro subiu hoje e totalizou R$ 9,529 bilhões, o maior desde 30 de agosto (R$ 9,823 bilhões). Os dados são preliminares.

Entre as explicações para o desempenho das ações da OGX está a notícia veiculada na imprensa nesta terça de que Eike Batista deixaria a companhia em meio ao processo de reestruturação das dívidas. Também teria favorecido a informação de que os acionistas controladores da MMX, Eike e Centennial Asset Mining Fund LLC, firmaram contrato definitivo com a Impala, divisão da Trafigura e Mubadala, no qual os fundos tornam-se acionistas indiretos com 65% do capital social da MMX Porto Sudeste (PortCo).

Nos EUA, a notícia de que as negociações no Senado dos EUA foram suspensas enquanto a Câmara trabalha em um projeto separado empurrou os índices para as mínimas. A Câmara deve votar nesta noite um projeto para elevar o teto da dívida. O Dow Jones terminou em baixa de 0,87%, aos 15.168,01 pontos. O S&P recuou 0,71%, aos 1.698,067 pontos, e o Nasdaq terminou com desvalorização de 0,56%, aos 3.794,01 pontos.

Tudo o que sabemos sobre:
Bovespa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.