OGX puxa Bovespa para baixo e interrompe sequência de 4 altas

Ibovespa encerrou em queda de 0,50%, aos 53.979 pontos, com os papéis da OGX caindo 11,63%

Ana Luísa Westphalen, da Agência Estado,

10 de setembro de 2013 | 18h09

Uma perda mais acentuada dos papéis da petroleira OGX à tarde ajudou a Bovespa a interromper uma sequência de valorização, que havia garantido valorização de cerca de 5% nos últimos quatro pregões. Apesar do exterior favorável, com a redução das preocupações em relação à Síria e com dados positivos da China, a baixa dos papéis da companhia de Eike Batista engatilharam um movimento de realização dos ganhos recentes, o que, consequentemente, amenizou a alta de outros papéis de peso no Ibovespa, como os das blue chips Petrobrás e Vale.

O Ibovespa encerrou o pregão desta terça-feira, 10, em queda de 0,50%, aos 53.979,03 pontos, perdendo o nível de 54 mil pontos reconquistado na sessão anterior. Pela manhã, o índice alcançou máxima aos 54.740 pontos (+0,90%), enquanto à tarde cravou 53.769 pontos (-0,89%), na mínima. O giro financeiro somou R$ 8,919 bilhões (dado preliminar). Neste mês, a Bolsa acumula valorização de 7,93%, mas, no ano, ainda tem perda de 11,44%.

"A Bovespa cedeu um pouquinho nesta tarde por conta do aprofundamento da queda da OGX, o que por si só já traz o índice para baixo. Mas o mercado está aproveitando para fazer uma realização de lucro, o que é até natural após a sequência de altas", avalia o economista da Órama Investimentos Álvaro Bandeira.

Os papéis da OGX encerraram em queda de 11,63%. Nesta tarde, uma fonte ouvida pela Dow Jones disse que a Mubadala Development Company, que assinou com a holandesa Trafigura um memorando de entendimento com a MMX para aquisição do Superporto Sudeste, não tem interesse em comprar participações na OGX nem na empresa de construção naval OSX Brasil.

As empresas do grupo EBX, de Eike Batista, figuraram entre as principais perdas do Ibovespa, lideradas por MMX ON (-17,11%). Depois da OGX ON, apareceu a LLX ON (-5,56%). Em seguida, vieram Oi ON (-4,85%) e MRV ON (-3,10%).

Na outra ponta, os destaques de alta foram TIM ON (+4,23%), Vale ON (+2,44%), Embraer ON (+2,19%), JBS ON (+2,09%) e Fibria ON (+2,02%).

Petrobrás ON e PN chegaram ao fim das transações com alta de 1,16% e de 0,94%, respectivamente, enquanto Vale ON subiu 2,44% e Vale PNA avançou 1,84%, beneficiadas por dados positivos divulgados na China, principal mercado consumidor da mineradora.

Em Wall Street, o índice Dow Jones avançou 0,85%, o S&P 500 registrou ganho de 0,73% e o Nasdaq subiu 0,62%.

Tudo o que sabemos sobre:
Bovespa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.