Oi desmente negociações para Genish assumir comando

Em resposta a ofício da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a Oi informou há pouco que não existem "conversas ou negociações" com o fundador da GVT Amos Genish para que assuma o cargo de diretor presidente da companhia.

ALEXANDRE DALLARA, Estadão Conteúdo

09 de outubro de 2014 | 07h43

A empresa disse no documento que consultou os acionistas Andrade Gutierrez e grupo La Fonte e não foi informada de qualquer articulação para a nomeação do executivo. A CVM exigiu esclarecimentos sobre informações de reportagem publicada na terça-feira pelo jornal Valor Econômico, que informava a possibilidade da saída de Zeinal Bava, então CEO da Oi, e da preferência desses acionistas pela indicação de Genish.

No comunicado ao mercado, que exigia esclarecimentos sobre a veracidade das informações da notícia, a empresa desmentiu que, naquele momento, fosse verídica a renúncia de Bava. Mais tarde, no mesmo dia, a Oi publicou fato relevante informando a saída do executivo.

O CEO foi substituído interinamente por Bayard De Paoli Gontijo, diretor de finanças e de relações com investidores, que acumulará as duas funções até que o conselho de administração escolha o substituto.

Tudo o que sabemos sobre:
OiCEOBavaGenish

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.