Oi encerra emissão de debêntures simples

Empresa pretendia arrecadar R$ 2,25 bilhões com a emissão

Fátima Laranjeira, da Agência Estado,

21 de maio de 2010 | 09h14

A oferta de debêntures simples, não conversíveis em ações, da quinta emissão da Oi (Telemar

Norte Leste) movimentou R$ 2 bilhões, com a colocação de 200 mil debêntures das 225 mil registradas. Foram negociadas 175.397 papéis da primeira série e 24.603 da segunda. A empresa pretendia arrecadar R$ 2,25 bilhões com a emissão, se tivesse negociado todos os títulos, sendo que a oferta poderia chegar a R$ 3 bilhões com a eventual venda de lotes extras.

 

Segundo anúncio de encerramento da distribuição publicado hoje em jornais, do montante total da primeira série 63,0% ficou nas mãos de três instituições intermediárias da oferta (110.537 debêntures), enquanto 33,9% foi adquirido por 62 fundos de investimento (59.460).

 

Da série secundária, a maior parte, 59,8%, foi adquirida por 10 fundos de investimento, que ficaram com 14.721 debêntures, seguido por um grupo de quatro entidades de previdência privada, que adquiriram 7.960 debêntures. O Banco Santander foi o coordenador líder da operação, em conjunto com o BTG Pactual.

 

Inicialmente, a oferta, que foi aprovada pela operadora em novembro do ano passado, estava prevista para ocorrer em janeiro. No dia 2 de fevereiro, porém, o operação foi interrompida em meio à suspensão do processo de incorporação da Brasil Telecom pela Oi. A incorporação foi suspensa pelo grupo após a descoberta de um passivo judicial avaliado em R$ 2,5 bilhões, referente aos antigos planos de expansão do sistema Telebrás. Inicialmente, a estimativa mensurada para esse tipo de provisão era de R$ 1,29 bilhão.

Tudo o que sabemos sobre:
oidebêntures

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.