Marwan Naamani/AFP
Marwan Naamani/AFP

Opep continua unida sobre manutenção da produção, diz ministro iraquiano

Desde que o grupo decidiu manter o teto de sua produção inalterado em 30 milhões de barris por dia, os preços do petróleo chegaram a recuar para menos de US$ 60 por barril

Estadão Conteúdo

22 Dezembro 2014 | 11h13

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) continua unida na decisão de não reduzir sua produção e permitir que o mercado defina os preços da commodity, apesar do impacto desigual que a forte queda vista no petróleo vem tendo nas economias de seus países-membros, afirmou o ministro do petróleo do Iraque, Adel Abdul-Mehdi.

"Ninguém está dizendo que está tudo bem", disse Abdul-Mehdi em entrevista ao The Wall Street Journal, às margens de uma conferência sobre energia em Abu Dabi. "Até agora, não vimos nenhuma tensão. Embora haja visões diferentes dentro da Opep, o grupo continua unido."

Desde que a Opep decidiu manter o teto de sua produção inalterado em 30 milhões de barris por dia, no mês passado, os preços do petróleo chegaram a recuar para menos de US$ 60 por barril. Essa situação levou alguns integrantes da Opep à beira da crise econômica, enquanto produtores do Golfo Pérsico se encontram numa situação mais confortável, graças a colchões fiscais significativos acumulados durante os anos de valorização do petróleo.

O próprio governo iraquiano enfrenta um déficit orçamentário por causa da queda nos preços. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
mundopetróleoOpepprodução

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.