Otimismo marca pregões na Ásia

Alta em Wall Street e bons resultados em ações de bancos determinaram sucesso nos mercados asiáticos

Hélio Barboza, Ricardo Criez e Roberto Carlos dos Santos, da Agência Estado,

19 de agosto de 2010 | 07h19

Os mercados asiáticos fecharam no campo positivo nesta quinta-feira. A alta em Wall Street e os bons resultados em ações de bancos determinaram o sucesso dos pregões.

A Bolsa de Tóquio fechou em alta diante dos sinais de forte demanda por equipamentos de produção de chips, que alimentaram uma significativa valorização das ações da Tokyo Electron, enquanto a intensa especulação a respeito de medidas de flexibilização monetária a serem tomadas pelo banco central puxaram para cima as ações dos setores imobiliário e de crediário. O índice Nikkei 225 saltou 122,14 pontos, ou 1,4%, e fechou aos 9.362,68 pontos.

A Bolsa de Hong Kong teve ligeira alta. Os ganhos nas empresas energéticas chinesas mais do que ofuscaram a realização de lucros no peso pesado China Mobile. O índice Hang Seng subiu 49,73 pontos, ou 0,2%, e terminou aos 21.072,46 pontos.

As Bolsas da China fecharam na maior pontuação em mais de três meses, estimuladas pelas expectativas de fortes resultados dos bancos no primeiro semestre. A realização de lucros no setor imobiliário, contudo, limitou os ganhos. O índice Xangai Composto subiu 0,8% e encerrou aos 2.687,98 pontos, o melhor resultado desde 14 de maio. O índice Shenzhen Composto ganhou 0,3% e terminou aos 1.141,35 pontos.

O yuan novamente se valorizou em relação ao dólar, por conta da manutenção da taxa de paridade central dólar-yuan em patamar inferior ao esperado pelos traders No mercado de balcão, o dólar fechou cotado em 6,7902 yuans, de 6,7917 yuans do fechamento de quarta-feira. A taxa de paridade central dólar-yuan foi fixada pelo Banco do Povo em 6,7898 yuans, ante 6,7895 yuans na véspera.

A Bolsa de Taipé, em Taiwan, encerrou o dia em leve alta, apoiada por ganhos dos mercados da Ásia e com investidores esperando um bom resultado do PIB da ilha do 2º trimestre. O índice Taiwan Weighted subiu 0,1% e fechou aos 7.928,94 pontos.

A Bolsa de Seul, na Coreia do Sul fechou em alta, impulsionada pelo interesse de compradores estrangeiros em blue chips e por analistas que indicam que a liquidez global pode levar o nível de referência da bolsa a ultrapassar 1.800 pontos no final do mês. O índice Kospi subiu 1% e encerrou aos 1.779,64 pontos.

Na Austrália, o índice S&P/ASX 200 da Bolsa de Sydney recuou 0,1% e fechou aos 4.479,0 pontos.

Nas Filipinas, o índice PSE da Bolsa de Manila avançou 0,7% e fechou aos 3.560,39 pontos.

A Bolsa de Cingapura teve alta pela primeira vez na semana, seguindo os ganhos nos demais mercados regionais e por causa de positivos sinais dos futuros de ações dos EUA. O índice Straits Times ganhou 0,9% e fechou aos 2.946,77 pontos.

O índice composto da Bolsa de Jacarta, na Indonésia, subiu 1,1% e fechou aos 3.105,35 pontos, com os investidores estrangeiros adquirindo papeis de bancos e de empresas de produtos de consumo.

O índice SET da Bolsa de Bangcoc, na Tailândia, avançou 1,3% e fechou aos 891,23 pontos, maior alta desde novembro de 2007, por conta de fluxo de capitais.

O índice composto de cem blue chips da Bolsa de Kuala Lumpur, na Malásia, teve alta de 0,5% e fechou aos 1.392,56 pontos, ajudado pelo crescimento acima do esperado do PIB do segundo trimestre e ganhos das corporações. As informações são da Dow Jones

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasÁsia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.