Ouro à vista supera US$ 1.400 por onça-troy com compras técnicas

Preço também é sustentado pela renovada confiança nas perspectivas de curto prazo para o metal precioso

Danielle Chaves, da Agência Estado,

21 de fevereiro de 2011 | 09h08

O ouro à vista rompeu o patamar psicológico de US$ 1.400 por onça-troy nesta manhã, sustentado por compras técnicas e pela renovada confiança nas perspectivas de curto prazo para o metal precioso. Às 9 horas (de Brasília), o ouro à vista subia 0,76%, para US$ 1.401,20 por onça-troy.

Depois de atingir a máxima histórica de US$ 1.431,30 por onça-troy em dezembro do ano passado, o ouro à vista operou em queda durante o mês de janeiro, chegando à mínima de US$ 1.308,45 por onça-troy no dia 28. No entanto, a mudança no sentimento com relação ao metal - em meio ao aumento das tensões no Oriente Médio, aos relatos de elevação nas taxas de juros em várias regiões do mundo e a evidências de forte demanda física - puxaram o preço do ouro para cima, provocando as compras técnicas.

"Assim que o ouro superou US$ 1.340 por onça-troy, as pessoas perceberam que a tendência de queda no curto prazo havia acabado e começaram a comprar aproveitando o preço baixo", comentou um operador de Londres. Um movimento acima do recorde atingido em dezembro agora parece firmemente ao alcance, com muitos observadores do mercado prevendo uma alta na direção de US$ 1.500 por onça-troy em um futuro não muito distante. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.