Ouro atinge menor nível em um mês

Os contratos futuros de ouro negociados na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), fecharam em queda nesta terça-feira, atingindo o menor nível em um mês, em meio às especulações de que nesta quarta-feira, 19, o Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) indicará que está preparado para começar a reduzir as compras de bônus.

AE, Agencia Estado

18 de junho de 2013 | 15h44

O contrato de ouro mais negociado, com entrega para agosto, perdeu US$ 16,20 (1,17%), fechando a US$ 1.366,90 a onça-troy, o menor nível desde 17 de maio. Investidores acreditam que o Fed deve divulgar nesta quarta-feira um novo mapa para o início da redução nas medidas de estímulo. "A economia está sendo ajudada pelo Fed. Quando eles tirarem esse suporte, o dólar deve subir e o ouro vai perder seu apelo de porto-seguro para os investidores", afirma o corretor sênior de commodities da RJO Futures Bob Haberkorn.

A inflação ao consumidor dos EUA subiu levemente em maio, sugerindo que as pressões inflacionárias continuam contidas em meio ao lento crescimento econômico global e aos pequenos acréscimos nos salários do país. O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) subiu 0,1% em termos sazonalmente ajustados em comparação com abril, segundo divulgado nesta terça-feira pelo Departamento do Trabalho. Economistas consultados pela Dow Jones previam alta de 0,2%.

"A meta de inflação do Fed é de 2%, e nós estamos abaixo disso, então isso não dá aos investidores uma razão para comprar ouro", afirma o estrategista sênior de mercado da ii Trader, Bill Baruch. As medidas de estímulo do Fed, que equivalem à impressão de dinheiro, enfraquecem o dólar e fazem os investidores buscarem refúgio no ouro, que, tradicionalmente, mantém melhor o valor. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Ourofechamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.