Ouro cai após notícia de venda do metal pelo FMI

FMI afirmou que as vendas acontecerão gradualmente, para evitar uma turbulência no mercado

Danielle Chaves, da Agência Estado,

18 de fevereiro de 2010 | 09h38

Os contratos de ouro à vista caíram fortemente durante o pregão asiático depois da notícia de ontem à noite de que o Fundo Monetário Internacional (FMI) pretende vender 191,3 toneladas do metal no mercado aberto, em vez de vendê-lo a bancos centrais.

 

Em um comunicado, o FMI afirmou que as vendas acontecerão gradualmente, para evitar uma turbulência no mercado. A instituição também disse que o volume é o que resta das 403,3 toneladas previstas para serem vendidas conforme anunciado anteriormente.

 

Às 7h45 (de Brasília), os contratos futuros de ouro na Comex operavam em queda de 1,55%, a US$ 1.102,10, enquanto o ouro à vista operava estável, a US$ 1.103,40 por onça-troy. Durante o pregão asiático, porém, o ouro à vista chegou a cair US$ 5,45 em comparação com o fechamento de Nova York ontem. Pouco antes do anúncio do FMI, o ouro à vista era cotado a US$ 1.116 por onça-troy.

 

Embora o FMI não tenha excluído a possibilidade de uma transação fora do mercado aberto, com os compradores preferidos - os bancos centrais -, o ouro caiu porque a notícia reduziu as expectativas de forte interesse do setor oficial. No ano passado, o banco central da Índia comprou 200 toneladas de ouro, o Sri Lanka comprou 2 toneladas e as Ilhas Maurício compraram 10 toneladas. As compras haviam aumentado as expectativas de que os bancos centrais se tornassem compradores líquidos de ouro, em um voto de confiança na significância do metal como parte das reservas oficiais.

 

Segundo Anderson Cheung, diretor para metais preciosos da Mitsui, "a primeira impressão é de uma notícia negativa". "Há pouco interesse entre os bancos centrais para comprar ouro acima de US$ 1.100 por onça-troy. Eu acho que os bancos centrais permanecem interessados em ouro, mas não a esses preços", afirmou.

 

No entanto, a procura por ativos seguros em consequência das recentes preocupações com a crise de dívida da Grécia e de outros membros da zona do euro deve manter o interesse no ouro. Além disso, qualquer queda dos preços deve ser vista como uma oportunidade de compra, de acordo com um operador de Sydney. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ouroFM

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.