Ouro cai por relatório de emprego e recua 0,9% na semana

Os contratos futuros de ouro negociados na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), fecharam em forte queda nesta sexta-feira, 05, após o relatório positivo de emprego do governo dos Estados Unidos reforçar a expectativa por uma redução de estímulos do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA).

Agencia Estado

05 de julho de 2013 | 15h25

O contrato de ouro mais negociado, com entrega para agosto, perdeu US$ 39,20 (3,13%), encerrando a US$ 1.212,70 a onça-troy, o menor nível desde 27 de junho. Na semana, o metal precioso acumula desvalorização de 0,9%.

Segundo o Departamento do Trabalho norte-americano, os EUA criaram 195 mil empregos em junho, mais que os 160 mil postos previstos por analistas, reforçando apostas de que o Fed dará início ao desmonte de sua política expansionista nos próximos meses.

"Isso pode ser a gota d''água para o ouro", disse Rich Ilczyszyn, do iiTrader. Muitos investidores compraram ouro após a crise financeira de 2008 para se proteger contra a inflação e o dólar mais fraco - dois riscos associados às políticas monetárias não convencionais do Fed. "O ouro está em um ambiente no qual compete com preços mais altos das ações, dólar mais forte e juros mais altos, o que não é bom para este mercado", acrescentou Ilczyszyn.

Segundo ele, mais dois meses de dados fortes do mercado de trabalho tornariam concretas as expectativas de que o Fed reduzirá suas compras mensais de bônus este ano, o que deve colocar o preço do ouro próximo de US$ 1.000 a onça-troy. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
ourofechamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.