Ouro encerra negócios em queda sob receio com Europa

Os contratos futuros de ouro negociados na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), fecharam em queda nesta quarta-feira, pressionados pelos renovados temores com a zona do euro, que causaram também uma valorização do dólar.

ÁLVARO CAMPOS, Agencia Estado

26 de setembro de 2012 | 16h05

O contrato de ouro mais negociado, com entrega para dezembro, perdeu US$ 12,80 (0,72%), fechando a US$ 1.753,60 a onça-troy, o menor nível em duas semanas. Com protestos contra as medidas de austeridade na Espanha e na Grécia nesta quarta-feira, ressurgiram com força os temores em relação à crise da dívida na zona do euro.

Esses receios sobre a capacidade da Europa de conter a crise na região têm pressionado o ouro este ano, com os investidores, que não querem manter em suas carteiras ativos denominados em euro, buscando segurança no dólar. Isso diminui o apelo do ouro, que normalmente é visto como um "porto seguro" em períodos de turbulência. Como é denominado na moeda norte-americana, o metal se torna mais caro para compradores que usam outras divisas quando o dólar se valoriza.

O ouro registrou uma forte alta entre agosto e meados de setembro, com os investidores antecipando a terceira rodada de relaxamento quantitativo adotada pelo Federal Reserve Bank, o banco central dos Estados Unidos. Mas desde que a decisão foi anunciada, o metal tem estado sem direção clara.

Mesmo assim, analistas técnicos do Bank of America Merrill Lynch afirmam que a tendência de alta do ouro no longo prazo deve continuar, independentemente da direção de outros mercados. Em comunicado eles comentam que o ouro pode oscilar entre US$ 1.800,00 e US$ 1.925,00 a onça-troy no curto prazo, podendo chegar a US$ 3.000,00 em 2014. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ouroEuropafechamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.