Ouro fecha em alta após relatório de trabalho nos EUA

Os contratos futuros de ouro para dezembro se recuperaram dos patamares mínimos em duas semanas registrados na quinta-feira e encerraram o pregão desta sexta-feira, 06, em alta de 0,98%, a US$ 1.386,50 a onça-troy na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex). O dia foi marcado por dados ruins no mercado de trabalho norte-americano.

Agencia Estado

06 de setembro de 2013 | 16h21

O Departamento do Trabalho dos EUA revelou a criação de 169 mil novos postos de trabalho na economia em agosto, abaixo das projeções de 175 mil. Os números de julho foram revistos de 162 mil vagas criadas para 104 mil.

Após os dados ruins anunciados no mercado de trabalho, investidores começaram a especular que o Federal Reserve talvez não seja tão agressivo na redução das compras mensais de US$ 85 bilhões em Treasuries e títulos hipotecários (MBS). O Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc) do Fed se reunirá em 17 e 18 de setembro.

A desvalorização do dólar também ajudou o ouro, que é denominado na moeda norte-americana e assim se torna mais barato para compradores que usam outras divisas. Um possível conflito na Síria é outro fator que está no radar dos investidores. Durante a manhã o presidente da Rússia, Vladimir Putin, declarou em coletiva de imprensa após a reunião do G-20 que vai continuar a vender armas e a fornecer ajuda para a Síria em caso de ataque militar contra o país. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
mercados de ouro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.